Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Occurrence of DEA1.1 in blood donor dogs in Cuiabá, Mato Grosso, Brazil / Ocorrência de DEA 1.1 em cães doadores de sangue em Cuiabá, Mato Grosso, Brasil

Pereira, Mariana Elisa; Rocha, Marcela Natacha Aparecida; Mendonça, Adriane Jorge; Almeida, Arleana do Bom Parto Ferreira de; Canei, Darlan Henrique; Sousa, Valéria Régia Franco.
Semina ciênc. agrar; 41(3): 1067-1072, May-June 2020. tab
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: biblio-1501789

Resumo

This study aimed to assess Dog Erythrocyte Antigen (DEA) 1.1 in donor dogs at the Federal University of Mato Grosso, Cuiabá, Brazil, and review the relevant literature. The blood (60 samples; 1.5 mL volume, each) was collected in separate vacutainer tubes containing ethylenediaminetetraacetic acid and submitted for complete blood count; in addition, the samples were typed by RapidVet® based on agglutination due to specific interaction between DEA 1 antigen at the membrane surface of the erythrocyte and lyophilised murine monoclonal antibody on the test card. DEA1.1 positivity was observed in 81.6% (49 of 60) of test samples, while negative results were obtained in the remaining 18.3% (11 of 60). DEA 1.1 positive samples were comprised of 42.8% of purebred dogs and 38.3% of mixed breed dogs. With regard to sex in the DEA 1.1 positive group, 48.3% were male dogs and 33.3% were female dogs. The blood donor canine population showed high prevalence of DEA 1.1, which confirms that blood typing should be performed prior to blood transfusion in previously sensitised dogs.
O objetivo deste trabalho foi avaliar a ocorrência do antígeno eritrocitário DEA (Dog Erythrocyte Antigen) 1.1 nos cães doadores de sangue no Hospital Veterinário Universitário em Cuiabá, Mato Grosso, Brazil. O sangue (60 amostras; 1,5mL cada) Foram coletadas amostras de sangue de 60 cães em tubo a vácuo contendo ácido etilenodiamino tetra-acético (EDTA) para realização de hemograma; adicionalmente, foi realizada tipagem sanguínea com o kit RapidVet®, que baseia-se na aglutinação devido à interação entre os antígenos DEA 1 do antígeno eritrocitário com os anticorpos monoclonais presentes no cartão. Das amostras testadas, 81,6% (49 de 60) apresentaram positividade para DEA 1.1, enquanto que apenas 18,3%(11 de 60) foram negativas. Os cães com raça definida representaram 42,8% das amostras DEA 1.1, já os cães mestiços representaram 38,3%. Em relação ao sexo dos cães DEA 1.1, foi observada prevalência de 48,3% em machos e 33,3% em fêmeas. Este trabalho demonstrou a alta prevalência do grupo DEA 1.1 na população de cães doadores de sangue, o que ratifica a importância da tipagem sanguínea anteriormente à transfusão sanguínea em cães previamente sensibilizados.
Biblioteca responsável: BR68.1
Localização: BR68.1