Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Influência da condição corporal ao parto no balanço energético e desempenho reprodutivo de cabras leiteiras no pós-parto / Influence of body condition at calving on energy balance and reproductive performance of dairy goats in the postpartum

Barbosa, L. P; Rodrigues, M. T; Guimarães, J. D; Torres, C. A. A; Carvalho, G. R; Amorim, L. S; Dutra, P. A.
Arq. bras. med. vet. zootec; 68(5): 1283-1291, set.-out. 2016. tab, graf
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-827910

Resumo

O estudo teve como objetivo avaliar a influência da condição corporal (CC) ao parto no balanço energético (BE) e o desempenho reprodutivo de cabras Alpinas no pós-parto. Foram utilizadas 68 cabras distribuídas em três grupos (G), sendo: G1- cabras com baixa CC (CC entre 1,5 e 2,5); G2: cabras com moderada CC (entre 2,75 e 3,5) e G3: cabras com alta CC (entre 3,75 e 5,0). Os animais receberam dieta (silagem de milho e concentrado, com 18% de proteína bruta e 1,7Mcal/kg de matéria seca de energia líquida) ad libitum. As avaliações foram feitas nas oito primeiras semanas de lactação, para determinação do BE, do intervalo do parto à primeira ovulação e ao primeiro estro e da concentração plasmática de progesterona. Os dados foram analisados por análise de variância a 5% de probabilidade. Não houve efeito da CC ao parto sobre o BE dos animais. Todas as cabras apresentaram BE negativo ao parto, com mudança para BE positivo aos 51, 58 e 64 dias pós-parto, respectivamente. Não houve diferença na concentração plasmática de progesterona nos três grupos, sendo caracterizada função luteal (concentração ≥1ng/dL) em apenas 5,9% dos animais avaliados. O intervalo do parto à primeira ovulação foi de 46 dias. Apenas 4,4% das cabras exibiram estro. Cabras leiteiras de média produção, entre 2,5 e 3,0kg de leite/dia, entram em BE negativo ao parto, independentemente da CC apresentada, influenciando negativamente o reinício da atividade ovariana no pós-parto.(AU)
The concentration of progesterone in the blood was used to study the effect of body condition score (BCS) on the post-partum ovarian activity of dairy goats. Sixty-eight female goats were distributed between three treatments. Treatment 1: goats with BCS between 1.00 and 2.75; Treatment 2: goats with BCS between 2.75 and 3.50; and Treatment 3: goats with BCS between 3.50 and 5.00. The goats had the blood collected immediately after birth, and from that time up to the eighth week post-partum at three day intervals. The progesterone analysis on the blood was used to determine the interval between the birth and the first ovulation. The females were teasing two times per day for estrus detection and determination of the time interval from birth to first estrus. No significant difference was found on the progesterone concentration between treatments. The luteal functionality was characterized in only 5.9% of goats, with a concentration higher than 1ng/mL. The period from birth to first ovulation was 46 days. The detectable estrus was found in only 4.4% of goats. The BCS at birth did not influence the recovery of ovarian activity of dairy goats.(AU)
Biblioteca responsável: BR1.1