Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Tratamento de feridas excisionais de coelhos com extrato de barbatimão associado a células mononucleares autólogas da medula óssea / Treatment of excisional wound in rabbits with barbatiman extracts associated with autologous bone marrow mononuclear cells

Rodrigues, D. F; Mendes, F. F; Menezes, L. B; Carvalho, W. L; Sá, S; Silva, J. A; Souza, L. A; Silva, L. A. F.
Arq. bras. med. vet. zootec. (Online); 69(5): 1243-1250, set.-out. 2017. ilus, graf
Artigo em Português | | ID: biblio-878754

Resumo

Objetivou-se com este estudo avaliar o processo de cicatrização de feridas de coelhos tratadas com extrato de barbatimão (S. adstringens) associado a células mononucleares autólogas da medula óssea (CMMO). Utilizaram-se 20 coelhos, distribuídos em quatro grupos: B, extrato de barbatimão; CB, CMMO com extrato de barbatimão; CS, CMMO com solução fisiológica; S, solução fisiológica. Foi avaliada a presença de crosta, hiperemia, secreção, hemorragia, reepitelização, área da ferida e tempo de cicatrização. No terceiro, sétimo, 14º e 21º dias pós-operatório, realizou-se a biópsia das feridas e avaliaram-se os indicadores dos processos de inflamação e de reparo, com destaque para o colágeno, na coloração picrosírius, bem como de proliferação celular, na coloração AgNOR. Houve maior deposição de fibras colágenas nos grupos B e CB (P=0,00003) e formação de crostas mais espessas no sétimo dia, com fibras colágenas mais organizadas no 21º dia. Conclui-se que o barbatimão estimula a produção de fibras colágenas e promove a formação de crostas mais espessas sobre a ferida na fase inicial da cicatrização e, na fase de remodelação, favorece a orientação das fibras colágenas. Além disso, a associação desse fitoterápico com CMMO não estimula a cicatrização de feridas.(AU)
This study aimed to evaluate the healing process of wounds of rabbits in response to treatment with barbatiman extract (S. adstringens) associated with autologous mononuclear bone marrow cells (BM-MNC). We used 20 rabbits, divided into four groups: B, 10% barbatiman extract with 9.48% of total tannins; CB, BM-MNC with barbatiman extract; CS, BM-MNC with NaCl 0.9% solution; S, NaCl 0.9% solution. Clinical evaluation was performed by observing the presence of crust, redness, discharge, bleeding, re-epithelialization, the wound area and healing time in days. In the third, seventh, 14th and 21st postoperative days wounds were biopsied for microscopic evaluation of inflammation and repair process indicators, especially collagen, in picrosirius staining, and cell proliferation, in AgNOR staining. There was a greater deposition of collagen fibers in groups B and CB (p=0.00003) on the seventh day and formation of thicker crusts, and more organized collagen fibers on the 21st day in these groups. In conclusion, in the initial phase of healing, barbatiman extract stimulates the production of collagen fibers and promotes the formation of more exuberant crusts on the wounds and remodeling phase favors the orientation of collagen fibers, but when combined with BMMC does not stimulate wound healing in rabbits.(AU)
Biblioteca responsável: BR68.1