Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Investigação molecular de Ehrlichia canis, Anaplasma platys, Anaplasma phagocytophilum e Rickettsia spp. em felídeos selvagens cativos / Molecular investigation of Ehrlichia canis, Anaplasma platys, Anaplasma phagocytophilum and Rickettsia spp. in captive wild felids

Mazzotti, Giovana A; Silva, Wanessa A. C; Carneiro, Filipe T; Scalon, Marcela C; Lima, Mariana A; Teixeira, Marianne A; Lima, Alice C. F; Paludo, Giane R.
Pesqui. vet. bras; 38(3): 528-535, mar. 2018. tab, ilus
Artigo em Português | | ID: biblio-965462

Resumo

Doenças transmitidas por vetores estão emergindo e reemergindo em todo o mundo, representando um desafio na medicina humana e veterinária. Entre essas doenças estão aquelas causadas pelos agentes da ordem das Rickettsiales, que são bactérias Gram-negativas intracelulares obrigatórias, com capacidade de infectar vários animais e seres humanos. As Rickettsiales das espécies Ehrlichia spp. e Anaplasma spp. são observadas em vacúolos citoplasmáticos de leucócitos e plaquetas. As Rickettsiales da espécie Rickettsia spp. infectam livremente citoplasma ou núcleo de células hospedeiras. O objetivo do presente estudo foi investigar a infecção natural por Ehrlichia canis, Anaplasma platys, Anaplasma phagocytophilum e Rickettsia spp. em felídeos selvagens cativos no Distrito Federal e Goiás, Brasil. Além disso, também objetivou-se relacionar possíveis alterações hematológicas decorrentes da presença desses agentes. Amostras de sangue de 34 animais foram analisadas por meio da PCR para detecção de presença de DNA desses agentes. O DNA de Ehrlichia canis foi detectado em 5,8% (2/34) das amostras, A. platys foi detectado 64,7% (22/34), A. phagocytophilum foi detectado em 5,8% (2/34). O DNA de Rickettsia spp. não foi detectado em nenhuma amostra. Dois felídeos apresentaram coinfecção por E. canis e A. platys e dois apresentaram coinfecção por A. platys e A. phagocytophilum. Não houve diferenças significativas nos dados hematológicos das amostras positivas e negativas. Os dados sugerem que os felídeos selvagens cativos podem servir como potenciais reservatórios para Ehrlichia spp. e Anaplasma spp., a despeito de não ocasionarem alterações hematológicas.(AU)
Vector-borne diseases have been emerging and reemerging all over the world, causing a challenge to veterinary and human medicine. Among these diseases are those caused by agents of the order Rickettsiales, obligatory intracellular Gram-negative bacteria, with ability to infect several animals and humans. Rickettsiales of the species Ehrlichia spp. and Anaplasma spp. residing in cytoplasmic vacuoles of leukocytes and platelets. Rickettsiales of the species Rickettsia spp. freely infect cytoplasm or nucleus of host cells. The aim of the present study was to investigate the natural infection with Ehrlichia canis, Anaplasma platys, Anaplasma phagocytophilum and Rickettsia spp. in captive wild felids at the Federal District and Goiás, Brazil. In addition, it was also aimed to relate possible changes in hemogram with the presence of these agents. Blood samples from 34 animals were analyzed by PCR to detect the presence of DNA from these agents. The DNA of Ehrlichia canis was detected in 5.8% (2/34) of samples. A. platys was detected in 64.7% (22/34), A. phagocytophilum was detected in 5.8% (2/34). The DNA of Rickettsia spp. was not detected in any sample. Two felides presented co-infection with E. canis and A. platys, and two presented co-infection with A. platys and A. phagocytophilum. There were no significant differences in hematological data from positive and negative samples. The data suggest that captive wild felids can serve as potential reservoirs for Ehrlichia spp. and Anaplasma spp., despite hematological abnormalities were not observed.(AU)
Biblioteca responsável: BR68.1
Localização: BR68.1