Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Tumor-associated macrophage is correlated with survival and SOCS protein expression in canine mammary carcinoma / Correlação do infiltrado macrofágico com a sobrevida e a expressão da proteína SOCS no carcinoma mamário canino

Vieira-Filho, Carlos H. C; Barrouin-Melo, Stella M; Damasceno, Karine A; Araújo, Márcio S. S; Borges, Natalie F; Silva, Fabiana L; Cassali, Geovanni D; Estrela-Lima, Alessandra.
Pesqui. vet. bras; 38(10): 1972-1980, out. 2018. tab, ilus
Artigo em Inglês | LILACS | ID: biblio-976388

Resumo

The inflammatory infiltrate in the tumor microenvironment, particularly in mammary tumors, has aroused great interest in oncology, to play different roles in the progression or tumor regression dependent on the types and cell subsets involved. The present study aimed to evaluate (1) the occurrence and intensity of macrophage infiltration in the mammary carcinoma microenvironment, (2) the expression of SOCS1 and SOCS3 proteins in tumor associated macrophages, (3) any association between these parameters and tumor development, as well as survival rates in female dogs. Twenty-two female dogs diagnosed as carcinoma arising in a mixed tumor (CMT) by histopathology were divided into two groups following mastectomy: dogs without metastasis (CMT(-)=11) and those with metastasis (CMT(+)=11). The following parameters were analyzed: tumor size, lymph node metastasis, clinical stage, histological grade, distribution and intensity of inflammatory infiltrate, tumor macrophage quantification by immunohistochemical analysis of SOCS1 and SOCS3 expression, and immunophenotyping of peripheral blood leukocytes by flow cytometry. Dogs with the higher proportions of macrophages in the inflammatory infiltrate (≥400/tumor) also had higher survival rates in comparison with dogs with less macrophages. Immunostaining revealed higher proportions of SOCS3-positive macrophages in dogs without lymph node metastasis, while SOCS1-positive macrophages were predominant in dogs with metastasis (p<0.05). Multivariate analysis found associations between survival rate and clinical staging (p=0.025), histological grade (p=0.007), and the expression of MHC-CI in circulating monocytes (p=0.018). Higher SOCS3 expression in activated macrophages within the inflammatory infiltrate were considered indicative of an antitumor immune response, improved clinicopathological parameters and longer survival, whereas SOCS1-related activation was associated with tumor progression, metastasis development and reduced survival in female dogs with mammary carcinomas.(AU)
O infiltrado inflamatório no microambiente tumoral, particularmente nos tumores mamários, tem despertado grande interesse na oncologia, por desempenhar diferentes funções na progressão ou regressão tumoral, dependendo dos tipos e subtipos celulares envolvidos. O presente estudo teve como objetivo avaliar: (1) a ocorrência e a intensidade do infiltrado macrofágico no microambiente do carcinoma mamário; (2) a expressão das proteínas SOCS1 e SOCS3 nos macrófagos associados ao tumor; (3) qualquer associação relacionada ao prognóstico entre estes parâmetros e o desenvolvimento tumoral, assim como a taxa de sobrevida. Vinte e duas cadelas diagnosticadas com carcinoma em tumor misto (CTM) por exame histopatológico foram divididas em dois grupos após a mastectomia: cadelas sem metástase (CTM(-)=11) e cadelas com metástase (CTM(+)=11). Foram analisados os seguintes parâmetros: tamanho do tumor, metástase para linfonodo, estadiamento clínico, grau histológico, distribuição e intensidade do infiltrado inflamatório, quantificação dos macrófagos tumorais por análise imuno-histoquímica da expressão de SOCS1 e SOCS3, e imunofenotipagem dos leucócitos (monócitos e linfócitos) do sangue periférico por citometria de fluxo. Cadelas que apresentavam maiores proporções de macrófagos no infiltrado inflamatório (≥400/tumor) também tiveram maior taxa de sobrevida em comparação àquelas com menos macrófagos. A imunomarcação revelou maiores proporções de macrófagos SOCS3-positivos em cães sem metástase para linfonodo, enquanto que macrófagos SOCS1-positivos foram predominantes naqueles com metástase (p<0,05). A análise multivariada identificou associações entre a taxa de sobrevida e o estadiamento clínico (p=0,025), grau histológico (p=0,007) e a expressão de MHC-CI em monócitos circulantes (p=0,018). A maior expressão de SOCS3 nos macrófagos ativados foi considerada indicativa de uma resposta imune antitumoral, melhores parâmetros clínicos e maior taxa de sobrevida, ao passo que a ativação relacionada com SOCS1 foi associada à progressão tumoral, desenvolvimento de metástase e redução na taxa de sobrevida em cadelas com carcinoma mamário.(AU)
Biblioteca responsável: BR68.1
Localização: BR68.1