Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Eficiência de uma fitase bacteriana na liberação de fósforo fítico em dietas de frangos de corte / Efficiency of a bacterial phytase to release phytate phosphorus in broiler chicken diets

Pereira, R; Menten, J. F. M; Romano, G. G; Silva, C. L. S; Zavarize, K. C; Barbosa, N. A. A.
Arq. bras. med. vet. zootec; 64(1): 137-144, 2012. ilus, tab
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-1237

Resumo

Foi avaliada a eficiência de uma fitase (FT) bacteriana na liberação de fósforo fítico utilizando-se curvas de calibração para características ósseas e de desempenho em frangos de corte. O delineamento experimental foi inteiramente ao acaso, com seis tratamentos e seis repetições até 28 dias de idade. O tratamento-controle foi uma dieta à base de milho e farelo de soja deficiente em fósforo (P). Dois tratamentos corresponderam às dietas basais acrescidas de P suplementar, 0,05 por cento e 0,10 por cento, e os outros à dieta basal com 66, 99 e 131 FTU/kg de ração. A curva padrão é definida pelo efeito da adição de P suplementar consumido sobre características ósseas e de desempenho, e os resultados dos tratamentos com fitase são confrontados com a curva para cálculo de P liberado. A adição de P suplementar influenciou o ganho de peso, o peso vivo e o consumo de ração de forma quadrática, bem como miligramas de cinzas ósseas de forma linear. A curva padrão adotada foi da variável miligramas de cinzas ósseas, pois a resposta linear melhor descreve a curva. As inclusões de 66, 99 e 131 FTU/kg liberaram, respectivamente, 0,048 por cento, 0,049 por cento e 0,062 por cento de P. A fitase bacteriana é eficiente na liberação de fósforo fítico e possui viabilidade econômica.(AU)
The objective was to determine the efficiency of a bacterial phytase to release phytate phosphorus using calibration curves for performance and bone characteristics in broiler chickens. A completely randomized design with 6 treatments and 6 replicates was used in an experiment with chickens from 1 to 28 days of age. The control treatment was a diet based on corn and soybean meal deficient in phosphorus. Two treatments consisted of the basal diet supplemented with additional phosphorus (0.05 percent and 0.10 percent), and the other treatments received 66, 99 and 131 FTU/kg of feed. The standard curves represented the effect of the levels of additional P intake on performance and bone variables. Then, the responses of the phytase treatments were compared to the standard curves to calculate the P released. The increasing levels of supplemental P had a quadratic effect on weight gain, live weight and feed intake, and linear effect on mg of bone ash. The standard curve elected was mg of bone ash because linear response better represents the curve. Inclusion of 66, 99 and 131 FTU/kg released 0.048 percent, 0.049 percent and 0.062 percent. The bacterial phytase is efficient in releasing phytate, which may be of economical significance.(AU)
Biblioteca responsável: BR68.1
Localização: BR68.1