Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Serological investigation and PCR in detection of pathogenic leptospires in snakes / Investigação sorológica e PCR na detecção de leptospiras patogênicas em serpentes

Biscola, Natália P; Fornazari, Felipe; Saad, Eduardo; Richini-Pereira, Virginia B; Campagner, Michelle V; Langoni, Helio; Barraviera, Benedito; Ferreira Junior, Rui S.
Pesqui. vet. bras; 31(9): 806-811, 2011. ilus, tab
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-1322

Resumo

Detection of Leptospira by PCR had not yet been described in snakes. This study investigated, by microscopic agglutination test (MAT) and PCR, the presence of antibodies to Leptospira spp. and Leptospira spp., respectively, in venomous and non-venomous wildlife and captivity snakes. All snakes were divided into three groups to be compared: Group 1 (wildlife snakes - WS); Group 2 (snakes in intensive captivity - IC), and Group 3 (collective semi-extensive captivity -CC). Of the 147 snakes studied, 52 (35.4 percent) were positive for leptospirosis by MAT, 8 (15.4 percent) belonging to Group 1 (WS), 34 (65.4 percent) to Group 2 (IC) and 10 (19.2 percent) to Group 3 (CC). Jararaca (Bothrops jararaca) presented the highest average titer (66.7 percent, N=22/33) among the three group studied, and Hardjo prajtino was the most prevalent serovar (88.5 percent, N=46/52), with titers varying from 100 to 3200. Leptospira interrogans was revealed by PCR in kidney and liver of caiçaca (Bothrops moojeni) and jararaca-pintada (Bothrops pauloensis), showing 100 percent and 93 percent identity respectively. Future studies should be carried out for better understanding of the role of snakes as a reservoir of Leptospira in nature.(AU)
A detecção de Leptospira pela técnica de PCR não havia sido descrita em serpentes. Este estudo investigou pelo teste de aglutinação microscópica (MAT) e PCR, a presença de anticorpos anti-Leptospira spp. e Leptospira spp., respectivamente, em serpentes peçonhentas e não peçonhentas de vida livre e de cativeiro. As serpentes foram divididas em três grupos para comparação: Grupo 1 (serpentes recém-chegadas da natureza - WS); Grupo 2 (serpentes em regime de cativeiro intensivo -IC) e Grupo 3 (serpentes em regime de cativeiro coletivo semi-extensivo - CC). Do total de 147 serpentes estudadas, 52 (35,4 por cento) foram positivas para leptospirose pelo MAT, as quais 8 (15,4 por cento) pertenciam ao Grupo 1 (WS), 34 (65,4 por cento) ao Grupo 2 (IC) e 10 (19,2 por cento) ao Grupo 3 (CC). Das espécies estudadas, a jararaca (Bothrops jararaca) apresentou maior soropositividade (66,7 por cento, N=22/33). O sorovar mais prevalente foi o Hardjo prajtino (88,5 por cento, N=46/52) e os títulos variaram de 100 a 3200. Leptospira interrogans foi revelada por PCR nos rins e no fígado de caiçaca (Bothrops moojeni) e de jararaca-pintada (Bothrops pauloensis), mostrando 100 por cento e 93 por cento de identidade, respectivamente. Futuros estudos devem ser realizados para melhor compreensão do papel das serpentes como reservatório de leptospiras na natureza.(AU)
Biblioteca responsável: BR68.1
Localização: BR68.1