Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Clinical monitoring of neonatal foal from pregnancy with placentitis / Acompanhamento clínico de potro neonato proveniente de gestação com placentite

Araujo, Luciana Oliveira de; Nogueira, Carlos Eduardo Wayne; Fernandes, Cristina Gevehr; Pazinato, Fernanda Maria; Souza, Letícia da Silva; Curcio, Bruna da Rosa.
Acta sci. vet. (Online); 43(supl): 1-7, July 27, 2015. ilus, tab
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-14841

Resumo

Background: The equine placenta is the organ where gas and nutrients are exchanged between the mare and the fetus and, as such presents two main functions: protection and regulation of the fetal environment. Maternal or placental disorders can lead to fetal or neonatal impairment, fetal death, development of abnormalities, dystocia, or to the delivery of premature or dysmature foals. The aim of this work is to report the placental findings, the clinical evaluation and the therapeutic measures adopted during the clinical monitoring of a foal birth from a mare with placentitis.Case: The patient is a Thoroughbred mare, 18 years-old, from a farm in the south region of Brazil. The mare was submitted to colic surgery 90 days prior to delivery. The gestational length was 365 days and the mare did not present any symptoms of placentitis during pregnancy. At delivery both the amniotic fluid and the foal showed meconium staining, suggesting passage of intrauterine meconium. The time lapsed from birth to the observation of postural and behavioral reflexes was: eight min to the adoption of sternal recumbency; 35 min to begin sucking reflexes, and 110 min to stand. After the observation of the sucking reflexes, the foal received 250 mL of colostrum with a bottle. The foal weight at birth was 50 kg. Yellow/brownish stains covering on the allantoic surface to its full extent were identified...(AU)
A placenta é um órgão fundamental na relação materno-fetal e deve ser considerada como um reflexo das condições nutricionais, metabólicas, endócrinas e vasculares maternas, além de ser um indicativo da condição clínica e metabólica do neonato [11]. A placenta apresenta duas grandes funções: de proteção e de regulação do ambiente fetal, atuando como órgão de trocas respiratórias e de nutrientes entre a égua e o feto [28]. O impacto das desordens de origem materna ou placentária no ambiente intrauterino, geralmente resulta em comprometimento fetal ou neonatal decorrentes de um ou da combinação de três fatores: hipóxia, infecção e transtorno no desenvolvimento dentro do útero [5].O Comprometimento fetal pode resultar no nascimento de um potro prematuro ou dismaturo, sendo os efeitos do comprometimento neonatal dependentes da natureza, duração, severidade e estágio da gestação no qual ocorreu a condição de estresse [5].Em quadros de hipóxia ocorre uma redistribuição do débito cardíaco para manter os órgãos vitais (coração, cérebro e adrenais), com comprometimento de outros órgãos [28]. O feto equino apresenta um mecanismo de redução da demanda de oxigênio quando exposto a hipó- xia, diminuindo sua taxa de crescimento, podendo levar a um retardo no crescimento intrauterino [25]. Como resultado de uma isquemia intestinal em períodos de hipóxia, ocorre hiperperistaltismo transitório...(AU)
Biblioteca responsável: BR68.1
Localização: BR68.1