Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Indução e sincronização de estro em mamíferos selvagens uma revisão / Estrus induction and synchronization in wild mammals a review

Peixoto, Gislayne C. X; Pereira, Alexsandra Fernandes; Silva, Alexandre Rodrigues.
R. bras. Reprod. Anim.; 40(1): 03-07, Jan-Mar. 2016.
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-14995

Resumo

O uso de protocolos de indução e sincronização de estro representa uma etapa importante noestabelecimento de biotécnicas reprodutivas, como a inseminação artificial e a transferência de embrião. Emmamíferos selvagens, sua aplicação permite não apenas o aumento dos índices reprodutivos, como também odesenvolvimento de estratégias de conservação desses animais em cativeiro. Assim, o objetivo desta revisão éapresentar os progressos alcançados em alguns mamíferos selvagens, destacando os tratamentos hormonaisempregados e suas eficiências. Uma variedade de hormônios ou drogas semelhantes aos produzidos endogenamentepela fêmea já foi utilizado com diferenças quanto às respostas ovarianas. Adicionalmente, o aperfeiçoamento destesprotocolos deve ser desenvolvido para cada espécie em associação com o conhecimento da fisiologia ovariana,particularmente da dinâmica folicular.(AU)
The use of estrus induction and synchronization protocols is an important step for the establishment ofreproductive assisted techniques, as artificial insemination and embryo transfer. In wild mammals, its applicationallows not only the increase in reproductive rates, as well as the development of strategies for the conservation ofthese animals under captivity. The aim of this review is to present the progress achieved in some wild mammals,highlighting the hormonal treatments used and their effectiveness. A variety of hormones or drugs similar to thoseproduced endogenously by the female have already been used with apparent differences in the ovarian responses.Additionally, the processing of these protocols must be developed for each species in combination with theknowledge of ovarian physiology, especially the follicular dynamics.(AU)
Biblioteca responsável: BR68.1
Localização: BR68.1