Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Edge effect on post-dispersal artificial seed predation in the southeastern Amazonia, Brazil / Efeito de borda na predação de sementes artificiais pós-dispersão no sudeste da Amazônia, Brasil

Penido, G; Ribeiro, V; Fortunato, D S.
Braz. J. Biol.; 75(2): 347-351, 05/2015. graf
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-15096

Resumo

This paper evaluates the post-dispersal artificial seed predation rates in two areas of the southeastern Amazon forest-savanna boundary, central Brazil. We conducted the survey in a disturbance regime controlled research site to verify if exists an edge effect in these rates and if the disturbance (in this case annual fire and no fire) affects seed predation. We placed 800 peanuts seeds in each area at regular distance intervals from the fragment`s edge. Data were analyzed by a likelihood ratio model selection in generalized linear models (GLM). The complete model (with effects from edge distance and site and its interaction) was significative (F3=4.43; p=0.005). Seeds had a larger predation rates in fragments interior in both areas, but in the controlled area (no disturbance) this effect was less linear. This suggests an edge effect for post-dispersal seed predation, and that disturbances might alter these effects. Even if we exclude the site effect (grouping both areas together) there is still a strong edge effect on seed predation rates (F3=32.679; p>0.001). We did not verify predators species in this study; however, the presence of several species of ants was extremely common in the seeds. The detection of an edge effect in only a short survey time suggests that there is heterogeneity in predation rates and that this variation might affect plant recruitment in fragmented areas of the Amazon forest. Henceforth, this seed predation should be taken in consideration in reforestation projects, where the main source of plants species is from seed distribution.(AU)
Este artigo avaliou a predação de sementes pós-dispersão em duas áreas da borda entre a Amazônia e o Cerrado, no Brasil central. O experimento foi realizado em uma área de estudos controlados, no qual foi verificada a existência de um efeito de borda na predação de sementes e se a existência de distúrbio (área sujeita a fogo anual e área controle) afeta estes valores. Foram colocadas 800 sementes de amendoim em cada uma das duas áreas em distância regulares da borda do fragmento. Os dados obtidos foram analisados através de seleção de modelos por verossimilhança em modelos lineares generalizados (GLM). O modelo completo (com efeitos da distância da borda e da área amostrada com suas interações) foi significativo (F3=4,43; p=0,005). As sementes apresentaram uma maior taxa de predação no interior do fragmento em relação a sua borda em ambas as áreas, mas na área controle (sem distúrbio), o efeito foi menos linear. Isto sugere que existe um efeito de borda para a predação de sementes, e que distúrbios podem alterar estes efeitos. Mesmo se o efeito das áreas for removido (considerando ambas as áreas em conjunto), o efeito de borda sobre a predação de sementes persiste (F3=32,679; p>0,001). Não foram verificadas diretamente as espécies de predadores neste estudo, no entanto a presença de algumas espécies de formigas nas sementes foi extremamente comum. A detecção deste efeito de borda em um espaço de tempo curto sugere que existe uma heterogeneidade nas taxas de predação e que esta variação pode afetar o recrutamento vegetal em áreas fragmentadas da floresta amazônica. Portanto, este efeito sobre a predação de sementes deve ser levado em consideração em projetos de reflorestamento, nos quais a principal fonte de espécies vegetais seja através da distribuição de sementes.(AU)
Biblioteca responsável: BR1.1
Localização: BR68.1