Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Structure and geographic distribution of the Santa Inês sheep flock in the Piauí state / Estrutura e distribuição geográfica do rebanho de ovinos Santa Inês no Estado do Piauí

Rego Neto, Aurino de Araújo; Sarmento, José Lindenberg Rocha; Santos, Natanael Pereira da Silva; Biagiotti, Daniel; Santos, Gleyson Vieira dos; Campelo, José Elivalto Guimarães; Sena, Luciano Silva; Figueiredo Filho, Luiz Antonio Silva.
R. bras. Saúde Prod. Anim.; 15(2): 272-280, abr.-jun. 2014. graf, tab
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-16788

Resumo

This study was carried out to evaluate the effects of heterogeneity of residual variance on genetic evaluation of cattle raised on pasture from Amazônia Bioma, Brazil. Adjusted weights at weaning weight (205 days of age) were sorted in three phenotypic classes: low (less than average weight), medium (between the average and the average plus one standard deviation) and high (greater than average plus one standard deviation). There was increased of genetic additive direct and residual variances to the extent that increased phenotypic classes. The heritabilities for low, medium and high phenotypic classes were 0.27, 0.33 and 0.26, respectively. These estimates suggest that mass selection could result in genetic gain on breeding program that use weaning weight as a selection criteria. Genetic correlations between the low and medium, low and high, and medium and high phenotypic classes were 0.82, 0.35 and 0.72, respectively. The estimate of correlation of the breeding values of sire shown effect of the heterogeneity of phenotypic variance on the prediction of animals breeding values. There was a major variability for the breeding values of sires at high phenotype class. Thus, we suggested the identification and selection of sires with the highest breeding values for weaning weight, according with environment in which these animals are being raised.(AU)
Objetivou-se descrever o quantitativo, distribuição e estrutura do rebanho de ovino da raça Santa Inês no estado do Piauí. Foram analisados dados de registros genealógicos da raça Santa Inês, mantidos pela Associação Brasileira de Criadores de Ovinos (ARCO), referentes ao período de 1992 a 2012. Foram realizadas análises estatísticas descritivas de modo a conhecer como o rebanho Santa Inês está estruturado. Foi realizada a classificação do rebanho quanto a sua estrutura organizacional, determinada com base na origem e uso dos reprodutores, utilizando-se o programa ENDOG. v.4.8. O registro dos animais da raça Santa Inês, no Piauí, teve inicio em 1990, e a maior representatividade foi verificada no período de 1993 a 2001. Quanto à estrutura dos rebanhos, 56,8% foram classificados como rebanhos multiplicadores (estrato intermediário da pirâmide) e 43,2% como rebanhos comerciais (base da pirâmide), sendo que não se observou nenhum rebanho núcleo e nem isolado. A falta de rebanhos núcleo da raça no Estado pode ser uma das causas da redução do número de animais registrados nos últimos anos no Piauí.(AU)
Biblioteca responsável: BR68.1
Localização: BR68.1