Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Correlation of feline immunodeficiency virus status and the severity of feline chronic gingivostomatitis / Correlação do status sorológico para FIV e a gravidade da gengivoestomatite crônica felina

Sousa Filho, Reginaldo Pereira de; Sampaio, Keytyanne de Oliveira; Cagnini, Didier Quevedo; Montenegro, Assis Rubens; Rocha, Mariana Araújo; Evangelista, Janaina Serra Azul Monteiro; Cunha, Marina Gabriela Monteiro Carvalho Mori da.
Braz. J. Vet. Res. Anim. Sci. (Online); 55(3): e143345, Outubro 25, 2018. ilus, tab, graf
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-20644

Resumo

Feline chronic gingivostomatitis (FCGS) is a challenge for the veterinary practitioner since its etiology and treatments are still undefined. The present paper investigated the role of the feline immunodeficiency virus (FIV) in the severity of the FCGS. Oral mucosal biopsies obtained from 19 cats with FCGS were divided into two groups according to their FIV serology status. Later, the clinical lesion score was correlated with the histopathological grade of FCGS lesions and the degree of immunostaining in both groups. Most of the animals had significant histological changes; however, no correlation with FIV immunostaining intensity was observed. It was concluded that the presence of FIV infection or the animal's seropositivity status does not seem to interfere with the severity of clinical signs nor the degree of histopathological changes when compared to the seronegative group.(AU)
A gengivoestomatite crônica felina (FCGS) é um desafio para o veterinário, uma vez que a sua etiologia e tratamentos permanecem indefinidos. O presente trabalho investigou o papel do vírus da imunodeficiência felina (FIV) na gravidade do FCGS. Biópsias da mucosa oral de 19 gatos com FCGS foram divididas em dois grupos de acordo com o status sorológico de FIV. Mais tarde, o escore de lesão clínica foi correlacionado com o grau histopatológico das lesões FCGS e o grau de imunocoloração em ambos os grupos. A maioria dos animais apresentou alterações histológicas significativas, porém não foi observada correlação com a intensidade de imunocoloração para FIV. Concluiu-se que a presença de infecção por FIV ou o estado soropositivo dos animais não parece interferir com a gravidade dos sinais clínicos nem com o grau de alterações histopatológicas quando comparado ao grupo soronegativo.(AU)
Biblioteca responsável: BR68.1
Localização: BR68.1