Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Histomorphologic characterization of the hepatopancreas of freshwater prawn Macrobrachium rosenbergii (De Man, 1879) / Caracterização histomorfológica do hepatopâncreas do camarão-de-água-doce Macrobrachium rosenbergii (De Man, 1879)

Silva, M. A. S; Almeida Neto, M. E; Ramiro, B. O; Santos, I. T. F; Guerra, R. R.
Arq. bras. med. vet. zootec; 70(5): 1539-1546, set.-out. 2018. tab, ilus
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-20656

Resumo

This study aimed to describe the Macrobrachium rosenbergii hepatopancreas histomorphology. The hepatopancreas is constituted by a set of blind end tubules, divided into proximal, middle, and distal regions, with the epithelium formed by E, F, B, R, and M cells differently of other species. Measurements of the length and width of the tubules were 419.64+69.09µm and 117.42+16.99µm, respectively. The percentage of each cell type per region was: proximal region (40%B, 20%F, 6.7%M, 33.3%R), middle region (45.4%B, 18.2%F, 9.1%M, and 27.3%R) and distal region (36.4%E, 27.2%B, 18.2%F, 9.1%M, 9.1%R). Cell B that stores glycogen and lipids, is the most commonly found cell in proximal and middle regions. In the distal region, the E, responsible for the mitosis, is the most prominent. M, responsible by nutrient storage, is numerically constant among the portions differently in the Macrobrachium amazonicum. The study for the first time also suggests that in addition to digestive enzymes, the F cell produces protective mucus. The present study generated for the first time a morphometric profile of M. rosenbergii hepatopancreas, demonstrating differences from other species, and can be an important tool for new studies in nutrition, reproduction, and production with the species.(AU)
O objetivo do presente estudo foi descrever a histomorfologia do hepatopâncreas do camarão-de-água-doce Macrobrachium rosenbergii. Observou-se que ele é constituído por um conjunto de túbulos de fundo cego, sendo cada túbulo dividido em regiões proximal, média e distal, com o epitélio formado por cinco tipos de células (E, F, B, R, M), diferentemente de outras espécies. As medidas de comprimento e largura dos túbulos foram de 419,64+69,09µm e 117,42+16,99µm, respectivamente. A porcentagem de cada tipo celular por região foi: região proximal (40%B, 20%F, 6,7%M, 33,3%R), região média (45,4%B, 18,2%F, 9,1%M e 27,3%R) e região distal (36,4%E, 27,2%B, 18,2%F, 9,1%M, 9,1%R). Assim, a B, que armazena glicogênio e lipídeos, é a célula mais encontrada nas regiões proximal e média. Na região distal, a célula E, responsável pela mitose, é a mais encontrada. A célula M, responsável pelo acúmulo de nutrientes, tem um número constante de células nas porções do túbulo, diferentemente do Macrobrachium amazonicum. O estudo também sugere, pela primeira vez, que a célula F produz, além de enzimas digestivas, um muco protetor para o túbulo hepatopancreático. O presente estudo foi o primeiro a gerar um perfil morfométrico do hepatopâncreas do M. rosenbergii e demonstrou diferenças em relação a outras espécies, bem como serviu de importante ferramenta para novos estudos que abranjam a produção, a nutrição e a reprodução para a espécie.(AU)
Biblioteca responsável: BR68.1
Localização: BR68.1