Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

The zooplankton biodiversity of some freshwater environments in Parnaíba basin (Piauí, Northeastern Brazil) / Diversidade do zooplâncton de alguns ambientes de água doce na bacia do rio Parnaíba (Piauí, Nordeste do Brasil)

Paranhos, J. D. N; Almeida, V. L. S; Silva Filho, J. P; Paranaguá, M. N; Melo Júnior, M; Neumann-Leitão, S.
Braz. J. Biol.; 73(1): 125-134, Feb. 2013. ilus, tab
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-21504

Resumo

The plankton fauna of the state of Piauí, Northeastern Brazil, especially in the Parnaíba basin, is still poorly known; the results of most studies of the subject have not been published and can only be found in grey literature (unpublished scientific works), such as course completion work and consulting reports. Thus, this paper presents data from samples taken recently from different water bodies in Piauí and represents the second study to be published on the region's zooplankton since the pioneering work of Spandl (1926). A total of 38 species were recorded, including 23 new occurrences of rotifers, 10 of cladocerans and 2 of copepods for the state of Piauí. The greatest richness was observed for the rotifers, of which the genus Brachionus must be highlighted, especially at the Joana reservoir. Among the crustaceans, the greatest richness was observed at the Bezerra reservoir, where cladocerans of the genus Bosmina were prominent. The rotifers Brachionus havanaensis Rousselet, 1911 and Filinia longiseta (Ehrenberg, 1834); the cladocerans Diaphanosoma spinulosum Herbst, 1967 and Moina micrura Kurz, 1874; and the copepods Notodiaptomus cearensis Wright, 1936 and Thermocyclops decipiens Kiefer, 1927 occurred in all or in most environments in which the respective groups were studied. The results presented here expand the taxonomic list of zooplankton for the state of Piauí, including a total fauna of 30 species of rotifers, 15 of cladocerans and 3 of copepods. The zooplankton richness was considered low in the studied reservoirs compared to other freshwater ecosystems from Northeastern Brazil; however, the few studies developed in the Parnaíba basin suggest that the diversity for these organisms should be higher.(AU)
A fauna planctônica do Estado do Piauí, Nordeste do Brasil, especialmente para a Bacia do Rio Parnaíba, é ainda pouco conhecida; o resultado da maioria dos estudos não é publicado, podendo ser encontrado apenas em bibliografia cinzenta (não publicada cientificamente), tais como trabalhos de finalização de curso e relatórios de consultorias. Assim, o presente trabalho apresenta dados de amostragens recentes realizadas em diferentes corpos d'água do Piauí, consistindo no segundo estudo publicado sobre o zooplâncton da região, após o trabalho pioneiro de Spandl (1926). Registrou-se um total de 38 espécies, incluindo 23 novas ocorrências de rotíferos, dez novas ocorrências de cladóceros e dois novos registros de copépodes para o estado do Piauí. A maior riqueza foi observada para os rotíferos, com destaque para o gênero Brachionus, sobretudo no Açude Joana. Entre os crustáceos, foi observada uma maior riqueza no Açude Bezerra, destacando-se os cladóceros do gênero Bosmina. Os rotíferos Brachionus havanaensis Rousselet, 1911 e Filinia longiseta (Ehrenberg, 1834), os cladóceros Diaphanosoma spinulosum Herbst, 1967 e Moina micrura Kurz, 1874, e os copépodes Notodiaptomus cearensis Wright, 1936 e Thermocyclops decipiens Kiefer, 1927 ocorreram em todos ou na maioria dos ambientes onde os respectivos grupos foram estudados. Os resultados apresentados aqui ampliam a lista taxonômica do zooplâncton do Estado do Piauí, em uma fauna total de 30 espécies de rotíferos, 15 de cladóceros e três de copépodes. A riqueza do zooplâncton nos ambientes estudados foi considerada baixa em comparação com outros ecossistemas de água doce da Região Nordeste do Brasil; porém, os poucos estudos desenvolvidos na Bacia do Rio Parnaíba sugerem que a diversidade destes organismos seja maior.(AU)
Biblioteca responsável: BR68.1
Localização: BR68.1