Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Aspectos atuais sobre epidemiologia, diagnóstico e controle da enteropatia proliferativa suína / Current aspects in epidemiology, diagnosis and control of porcine proliferative enteropathy

Guedes, Roberto Maurício Carvalho.
MEDVEP. Rev. cient. Med. Vet.; 1(2): 136-143, abr.-jun. 2003. ilus
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-217

Resumo

Enteropatia proliferativa suína (EPS), mais conhecida como ileíte, é uma doença infecto-contagiosa causada pela bactéria intracelular obrigatória Lawsonia intracellularis. Esta enfermidade é caracterizada pela hiperplasia de células epiteliais das criptas intestinais. Existem duas formas clínicas da doença: a aguda, que causa mortalidade em animais adultos juvens, e a forma crônica, caracterizada por diarréia e redução de ganho de peso em animais em crescimento. Este manuscrito tem como objetivo discutir aspectos relevantes sobre a epidemiologia, o diagnóstico e o controle da EPS. A L.intracellularis , apesar de ser um organismo muito exigente para crescimento e manutenção in vitro, é eliminada em grande quantidade e por um longo período nas fezes de animais infectados, resiste por até duas semanas no meio ambiente e não necessita de uma dose infectante elevada. Pouco se sabe sobre a transmissão da bactéria L. intracellularis por vetores mecânicos e biológicos, a resistência da bactéria no meio ambiente e a existência/ detecção de animais carreadores. A sorologia e a detecção da eliminação de bactéria nas fezes pela técnica de PCR têm-se mostrado importantes ferramentas para utilização de medicação estratégica. Adição de antibióticos na ração é feita normalmente duas a três semanas antes da idade de soroconversão ou início da eliminação de bactéria nas fezes. Uma vacina viva modifica contra EPS foi recentemente lançada comercialmente nos Estados Unidos (Enterisol®lleitis, Boehringer Ingelheim Vetmedica). O uso desta vacina a campo tem mostrado resultados preliminares promissores. Pesquisas básicas e experimentos a campo vêm sendo conduzidos e novas informações sobre EPS estarão disponíveis em um futuro próximo(AU)
Porcine proliferative enteropathy (PPE), commonly known as ileitis, is an infect-contagious disease caused by the obligately intracellular bacterium Lawsonia intracellularis. This disease is characterized by hyperplasia of crypt epithelial cell. There are two clinical forms of PPE: the acute form, that causes mortality in young adults, and the chronic form, characterized by diarrhea and poor growth performance in growing pigs. The objective of this manuscript is to discuss relevant aspects of the epidemiology, diagnosis and control of PPE. Despite its fastidious maintenance and growth in vitro, L. intracellularis can be shed in large amount and for an extended period of time in the feces, it is still viable after two weeks room temperature, and does not require high infectante doses. Little known about L. intracellularis transmission by mechanical or biological vectores, resistance of the bacteria in the environment and existence/detection of carriers. Serology and detection of fecal shedding by PCR have being helpful for the use of strategic medication. Feed medication is usually initiated two to three weeks before the seroconversion or the beginning of fecal shedding. Recently, a modified-live vaccine against PPE has been commercially released in the United States (Enterisol® lleitis, Boehringer Ingelheim Vetmedica). Preliminary results of its use in the field have been promising. Several basic researches field experiments are being conducted and new information about PPE will be available in a near future(AU)
Biblioteca responsável: BR68.1