Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Phenotypic traits of equines raised in the Pantanal of Mato Grosso do Sul / Caracterização fenotípica de equídeos criados no Pantanal do Mato Grosso do Sul

Souza, Julio Cesar de; Rezende, Marcos Paulo Gonçalves de; Ramires, Geovane Gonçalves; Gonçalves, Vanessa Terra; Souza, Carolina Fregonesi; Oliveira, Nicacia Monteiro de; Ribeiro, Rodrigo Vedovato.
Semina Ci. agr.; 36(5): 3341-3352, set.-out. 2015. tab, ilus
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-22860

Resumo

The primary aim of this study was to characterize the phenotypes of equines raised in the Pantanal region of Mato Grosso do Sul, one of the central-western states of Brazil. Eighteen linear measurements were collected from 498 adult horses belonging to several different breeds, including Pantaneira (n = 52), Arabic (n = 28), Crioulo (n = 31), Mangalarga (n = 8), Quarter Horse (n = 97), Petiço (n = 9), Crossbred Horses (i.e., undetermined breeding; n = 170), and Mules (n = 74). These measurements were compared to similar measurements taken of English Thoroughbreds (n = 14) and Brazilian Equestrians (n = 15) in the city of Campo Grande, the capital of Mato Grasso do Sul. We used analysis of variance to test the influence of several factors, including genetic group, category (horse or mule), sex, and their interactive effects, on phenotypic characteristics. Correlation estimates verified the Euclidean distance between genetic groups categorized via cluster analysis. The effects were significant (P<0.05) for many of the phenotypic characteristics. Horses showed higher values for most of the measurements compared to mules, except for the length of the head, lumbar back length, and cannon bone circumference, as well as greater correlation between weight and heart girth (r = 0.98). Cluster analysis determined that the animals were categorized into nine groups, with 10 distinct populations. Correspondence analysis showed that the Crioulo, Crossbred Horses, Mules, Pantaneiro, and Mangalarga breeds were less distinct phenotypically. The Petiço breed was not grouped, whereas Quarter Horses, English Thoroughbreds, and Brazilian Equestrians were more phenotypically distinct from the other breeds.(AU)
Objetivou-se caracterizar fenotipicamente os equídeos criados no Pantanal do Mato Grosso do Sul. Mensuraram-se 18 medidas lineares em 498 equídeos adultos pertencentes às raças Pantaneira (n = 52), Árabe (n = 28), Crioulo (n = 31), Mangalarga (n = 8), Quarto de Milha (n = 97), Petiço (n = 9), equinos mestiços (n = 170) e Muares (n = 74).Para realizar distâncias fenotípicas incluiu-se informações das raças Puro Sangue Inglês (n=14) e Brasileiro de Hipismo (n = 15), mensurados em Campo Grande- MS. Realizou-se análise de variância para verificar influência dos efeitos de grupo genético, categoria (equino ou muar), sexo, e suas interações; analisaram-se correlações fenotípicas e para verificação da distância euclidiana entre grupos genéticos realizou-se analise de cluster. Os efeitos de variância foram significativos (P<0,05) em muitas das características fenotípicas. Os equinos em relação aos muares apresentaram valores superiores para maior parte das medidas, exceto para o comprimento de cabeça, comprimento dorso lombar e perímetro de canela. Obtiveram maiores correlações fenotípicas entre peso e perímetro torácico (r = 0,98). A análise de agrupamento possibilitou verificar que os equídeos foram categorizados em 9 grupos, com 10 populações distintas. A análise de correspondência apresentou diferenças menos notáveis em seus padrões fenotípicos entre as raças Crioula, equinos mestiços, Muares, Pantaneiros e Mangalarga. O grupamento Petiço foi o único que tendeu a não se agrupar. As raças Quarto de Milha, Puro Sangue Inglês, Brasileiro de Hipismo apresentam padrões fenotípicos com maior distância em relação aos demais.(AU)
Biblioteca responsável: BR68.1
Localização: BR68.1