Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Somatic cell count in the diagnosis of subclinical mastitis in sheep of different breeds / Contagem de células somáticas para o diagnóstico da mastite subclínica ovina em diferentes raças

Zafalon, Luiz Francisco; Santana, Raul Costa Mascarenhas; Esteves, Sérgio Novita; Fim Júnior, Guilherme Aparecido.
Semina Ci. agr.; 39(4): 1555-1564, jul.-ago. 2018. tab
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-22896

Resumo

The aims of this study were to determine the occurrence of subclinical mastitis in sheep of different breeds and the values for somatic cell count (SCC) in milk for the diagnosis of the disease at lactation and weaning, a fundamental prerequisite for identifying animals in need of control measures. Milk samples were obtained from 1,457 mammary halves of Santa Inês, Texel, Ile de France, and Dorper sheep at two different periods, during the second week of lactation and at weaning. After teats antisepsis, the samples were collected, and identification of the infectious etiology of mastitis and determination of SCC were performed. Microorganisms were identified in 117/762 (15.3%) mammary halves in the second week of lactation and in 86/694 (12.4%) at weaning. Coagulase-negative staphylococci (CoNS) were the etiological agents with the highest incidence alone and in association with other microorganisms, with percentages of 58.1% and 60.6%, respectively. The Santa Inês presented a higher incidence of subclinical mastitis when compared to the other breeds. The cut-off values of SCC for subclinical mastitis were determined at both sampling periods and varied according to stage of lactation, as well breed. These results illustrate the lack of a universal value that can be used for the diagnosis of mastitis and suggests the need for permanent follow-up in herds in order to control the disease.(AU)
Os objetivos do trabalho foram estabelecer a ocorrência da mastite subclínica em ovelhas de diferentes raças e os respectivos valores de triagem da contagem de células somáticas (CCS) no leite para o diagnóstico da doença durante a lactação e ao desmame, um pré-requisito fundamental para a identificação dos animais para o estabelecimento de medidas de controle. As amostras de leite foram obtidas de 1.457 metades mamárias de ovelhas das raças Santa Inês, Texel, Ile de France e Dorper, em dois diferentes períodos, durante a segunda semana de lactação e ao desmame. Após a antissepsia dos tetos, as amostras de leite foram colhidas para identificação da etiologia infecciosa dos casos de mastite e determinação da CCS. Dentre as metades mamárias investigadas, 117/763 (15,3%) apresentaram micro-organismos no leite na segunda semana de lactação e 86/694 (12,4%) apresentaram resultados microbiológicos positivos ao desmame. Estafilococos coagulase-negativos (ECN) foram os agentes etiológicos com maior ocorrência isoladamente e em associação com outros micro-organismos, 58,1% e 60,6%, respectivamente. A raça Santa Inês apresentou maior ocorrência de mastite subclínica, quando comparada às outras raças. Diferentes pontos de corte para CCS foram determinados em ambos os períodos. Os valores das contagens celulares para a triagem da mastite subclínica nas ovelhas variaram de acordo com a fase da lactação em que as amostras foram obtidas, assim como com as raças dos animais, o que denota não existir um valor universal que possa ser usado para o diagnóstico da mastite, sugerindo a necessidade de acompanhamento técnico permanente nos rebanhos para o controle da doença.(AU)
Biblioteca responsável: BR68.1
Localização: BR68.1