Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Detecção do gene da nucleoproteína do vírus da cinomose canina por RT-PCR em urina de cães com sinais clínicos de cinomose / Detection of canine distemper virus nucleoprotein gene by RT-PCR in urine of dogs with distemper clinical signs

Gebara, C. M. S; Wosiacki, S. R; Negrão, F. J; Oliveira, D. B. de; Beloni, S. N. E; Alfieri, A. A; Alfieri, A. F.
Arq. bras. med. vet. zootec; 56(4): 480-487, ago. 2004. ilus, tab
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-2331

Resumo

A presença do vírus da cinomose canina (CDV) foi avaliada pela reação em cadeia da polimerase, precedida de transcrição reversa (RT-PCR), em 87 amostras de urina de cães que apresentavam sinais clínicos sugestivos de cinomose. Os animais foram distribuídos em três grupos. No grupo A foram incluídos 41 cães com alterações sistêmicas; no grupo B, 37 cães com alterações neurológicas; e no grupo C, nove cães com alterações sistêmicas e neurológicas simultâneas. O grupo D (controle) foi composto por 20 cães assintomáticos. Os resultados da RT-PCR foram correlacionados com a forma clínica da infecção e com as alterações hematológicas encontradas. Foi possível a amplificação parcial do gene da nucleoproteína do CDV em 41 (47,1%) das 87 amostras de urina provenientes de cães com sinais clínicos sugestivos de cinomose. Todas as amostras obtidas de animais assintomáticos foram negativas na RT-PCR. Amostras positivas foram encontradas nos três grupos de animais com sinais clínicos na proporção de 51,2% (24/41), 29% (11/37) e 100% (9/9) para os grupos A, B e C, respectivamente. A leucocitose foi a alteração hematológica mais freqüente nos três grupos de cães com sinais clínicos porém, não foi possível estabelecer correlação entre o resultado da RT-PCR e as alterações hematológicas. Os resultados demonstraram que, independente da forma de apresentação clínica, a técnica da RT-PCR realizada em urina pode ser utilizada no diagnóstico ante mortem da infecção pelo CDV.(AU)
The urine of 87 dogs with clinical signs suggestive of canine distemper was analyzed by RT-PCR for detection of canine distemper virus (CDV) nucleoprotein gene. The samples were allotted to the following groups: group A- with 41 dogs with systemic symptoms, group B- with 37 dogs with neurological signs, and group C- with 9 dogs with simultaneous systemic and neurological clinical signs. Group D (control) included 20 assymptomatic dogs. A c2 was used to test RT-PCR results according to clinical form and hematological characteristics. The RT-PCR was positive for CDV in 47% (41/87) of the urine samples from dogs with clinical signs. All samples from assymptomatic dogs were RT-PCR negatives. Positive samples were found in all groups of dogs with distemper symptoms according to the following propositions: 51.2% (21/41), 29% (11/37) and 100% (9/9) for groups A, B and C, respectively. In all clinical forms (groups A, B and C) leucocytosis was the most frequent observed hematological alteration. No relationship between RT-PCR results and hematological changes was observed. The results showed that independently of the clinical stage of the illness the RT-PCR based on urine sample can be applied for ante mortem diagnosis of CDV.(AU)
Biblioteca responsável: BR68.1