Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Saline-sodic soil and organic matter addition in the cultivation of the colored cotton BRS Topázio / Solo salino sódico e adição de matéria orgânica no cultivo do algodoeiro colorido BRS Topázio

Costa, Magaly Morgana Lopes da; Nobre, Reginaldo Gomes; Lima, Geovani Soares de; Gheyi, Hans Raj; Pinheiro, Francisco Wesley Alves; Dias, Adaan Sudário; Soares, Lauriane Almeida dos Anjos.
Semina Ci. agr.; 37(2): 701-714, mar.-abr. 2016. tab, graf
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-23437

Resumo

The prevailing climate of the semiarid region in the northeastern region of Brazil along with inadequate irrigation management, have caused the formation of halomorphic soils, which have hampered agricultural production and environmental sustainability of this region. Therefore, this study aimed to evaluate the emergence and initial growth of the cotton cultivar ‘BRS Topázio cultivated in soil with different levels of exchangeable sodium percentage (ESP) and concentrations of organic matter (OM) in a greenhouse from April to June 2014. The experiment was set in a randomized block design in a 5 × 4 factorial scheme, with three replicates, and the treatments consisted of five ESP levels (13.6, 22.4, 30.1, 39.0, and 48.0) and four OM concentrations (0, 5, 10, and 15% based on soil volume). Soils with an ESP ranging from 13.6 to 48.0 did not interfere with the emergence and number of leaves of cotton at 10 days after seeding (DAS). At 44 DAS, in the period preceding the flowering stage, ESPs ranging from 27 to 30 promoted greater plant height, stem diameter, and fresh and dry matter of shoot. Increasing OM increased the emergence percentage and emergence speed index and, at 44 DAS, increased plant height, stem diameter, and shoot fresh and dry matter. Increasing OM mitigated the effect of the exchangeable sodium up to an ESP of 30 on the number of leaves, plant height, stem diameter, and leaf area at 10 DAS, and up to mean ESPs of 28.5 and 34.0 for the number of leaves and leaf area, respectively, at 44 DAS.(AU)
As condições de clima prevalecentes na região semiárida do nordeste Brasileiro, associado ao manejo inadequado da irrigação tem ocasionado a formação de solos halomórficos, promovendo assim, impactos negativos sobre a produção agrícola e a sustentabilidade ambiental desta região. Deste modo, objetivou-se com este trabalho avaliar a emergência e o crescimento inicial do algodoeiro cv. BRS Topázio cultivado em um solo com diferentes percentagens de sódio trocável e doses de matéria orgânica, em pesquisa conduzida em casa de vegetação entre abril e junho de 2014. Utilizou-se o delineamento de blocos ao acaso, em esquema fatorial 5 x 4, com 3 repetições, sendo estudados cinco percentagens de sódio trocáveis (13,6; 22,4; 30,1; 39,0 e 48,0) e quatro doses de matéria orgânica (0; 5; 10 e 15% em base do volume do solo). Solos com percentagem de sódio trocável variando de 13,6 a 48,0 não interferem na emergência nem no número de folhas do algodoeiro aos 10 dias após a semeadura. Aos 44 dias após o a semeadura, período que antecede a floração, a percentagem de sódio trocável variando de 27 a 30 promoveu maior altura de planta, diâmetro de caule e a fitomassa fresca e seca da parte aérea. Enquanto as doses crescentes de matéria orgânica proporcionam maior percentagem de emergência e índice de velocidade de emergência e, aos 44 dias após a semeadura a altura de planta, o diâmetro de caule e a fitomassa fresca e seca da parte aérea do algodoeiro. O incremento nas doses de matéria orgânica atenuaram o efeito do sódio trocável até a PST de 30 sobre o número de folhas, altura de planta, diâmetro de caule e a área foliar do algodoeiro aos 10 dias após a semeadura; e até a percentagem de sódio trocável média de 28,5 e 34,0 respectivamente, sobre o número de folhas e a área foliar aos 44 dias após a semeadura.(AU)
Biblioteca responsável: BR68.1
Localização: BR68.1