Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Caracterização epidemiológica e fatores de risco associados à infecção por lentivírus de pequenos ruminantes na região do semiárido paraibano, Nordeste do Brasil / Epidemiological characterization and risk factors associated with lentivirus infection in small ruminants in the semiarid of Paraíba State, Northeastern Brazil

Guilherme, Ricardo F; Azevedo, Sérgio S; Higino, Severino S. S; Alves, Francisco S. F; Santiago, Lauana B; Lima, Ana M. C; Pinheiro, Raymundo R; Alves, Clebert J.
Pesqui. vet. bras; 37(6): 544-548, jun. 2017. tab, mapas
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-23596

Resumo

O objetivo deste estudo foi determinar a soroprevalência de lentivírus de pequenos ruminantes (LVPR) e identificar os fatores de risco para a ocorrência de caprinos e ovinos soropositivos no semiárido do Estado da Paraíba. Foram utilizados 1.733 animais, sendo 1.274 caprinos procedentes de 62 Unidades de Produção (UPs) e 459 ovinos provenientes de 32 UPs. Para o diagnóstico sorológico da infecção por lentivírus foi utilizado o teste de imunodifusão em gel de ágar (IDGA). Dos 1.274 caprinos analisados 15 (1,18%) foram soropositivos, enquanto que todos os 459 ovinos foram soronegativos. Das 62 propriedades caprinas analisadas oito (12,9%) apresentaram pelo menos um animal soropositivo. Os fatores de risco para a ocorrência de caprinos soropositivos foram área da propriedade (odds ratio = 3,28; p = 0,044), ausência de capacitação dos produtores (odds ratio = 8,29; p = 0,042) e uso de monta natural não controlada (odds ratio = 6,78; p = 0,012). Conclui-se que a infecção por lentivírus de pequenos ruminantes, demonstrada pela detecção de anticorpos, está disseminada em rebanhos caprinos do semiá­rido paraibano, e sugere-se o incentivo à capacitação contínua dos produtores, manutenção de reprodutores negativos ao LVPR e utilização de inseminação artificial com o intuito de evitar o contato físico entre macho e fêmeas.(AU)
The aim of this survey was to determine the seroprevalence of small ruminant lentivirus (SRLV) and to identify risk factors for the occurrence of seropositive goats and sheep in the semiarid region of Paraiba State. It were used 1,733 animals, being 1,274 goats from 62 Production Units (PU) and 459 sheep from 38 PU. For the serological diagnosis of lentivirus infection the agar gel immunodiffusion test (AGID) was used. Of the 1,274 goats 15 (1.18%) were seropositive, and all 459 sheep were seronegative. Of the 62 goat herds eight (12.9%) presented at least one seropositive animal. Risk factors for the occurrence of seropositive goats were area of the property ≤35 ha (odds ratio = 3.28; p=0.044), not training of producers (odds ratio = 8.29; p=0.042) and use of uncontrolled natural mating (odds ratio = 6.78; p=0.012). It is concluded that lentivirus infection detected by serology is spread in goat flocks in the semiarid of the State of Paraíba, and it is suggested to encourage the continous capacitation of owners, maintenance of reproducers negative for SRLV and use of artificial insemination aiming to avoid the physical contact among male and females.(AU)
Biblioteca responsável: BR68.1
Localização: BR68.1