Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Molecular identification of cryptic species of oysters (Genus Crassostrea Sacco, 1897) in the northeast Atlantic coast of Brazil / Identificação molecular de espécies crípticas de ostras (Gênero Crassostrea Sacco, 1897) na Costa Atlântica Nordeste do Brasil

Boehs, Guisla; Luz, Mariane dos Santos Aguiar; Andrade, Verena Rebeca Dias De.
B. Inst. Pesca; 45(2): e446, 2019. mapas, ilus
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-23657

Resumo

Oysters of the genus Crassostrea Sacco, 1897 are widely distributed worldwide, being important extractive and cultivation resources in Brazil. Because they have high phenotypical plasticity and congeneric similarity, identifications based on shell morphology are not always safe. The goal of this study was to identify the oysters of the Bahia State, northeast Brazil, using the molecular tools Polymerase Chain Reaction, Restriction Fragment Length Polymorphism, DNA sequencing and phylogenetic analysis. Oysters were collected at 12 sampling stations, from October 2014 to March 2015 and included samples of rhizomes (aerial roots)/stems of the red mangrove Rhizophorae mangle L. and in the sediment near to the underground roots of this one, on berths, natural rock outcrops near the mangrove swamp and in three oyster crops. It was confirmed the presence of two species of oysters: Crassostrea rhizophorae (Guilding, 1828) and C. gasar (Deshayes, 1830) and that the latter was genetically identical to C. brasiliana reported in previous studies on the Brazilian coast. There was no co-occurrence of the two species on the same substrate, but these were found in nearby environments at two sampling points. Crassostrea rhizophorae was observed on the rhizomes/stems of R. mangle, as well as on artificial concrete walls (berths). The semi-buried oysters near R. mangles subterranean roots and adhered to small rocks of a rocky outcrop were C.gasar, which was also the exclusive oyster of the crops.(AU)
As ostras do gênero Crassostrea Sacco, 1897 são amplamente distribuídas mundialmente, sendo importantes recursos extrativistas e de cultivo no Brasil. Por possuírem alta plasticidade fenotípica e semelhança congenérica, as identificações baseadas na morfologia da concha nem sempre são seguras. O objetivo deste estudo foi identificar as ostras do estado da Bahia, nordeste do Brasil, utilizando as ferramentas moleculares Reação em Cadeia da Polimerase, Polimorfismo do Comprimento de Fragmentos de Restrição, sequenciamento de DNA e análise filogenética. As ostras foram coletadas em 12 estações amostrais, de outubro de 2014 a março de 2015 e incluíram coletas sobre rizomas (raízes aéreas)/caules do mangue vermelho Rhizophorae mangle L. e no sedimento próximo às raízes subterrâneas deste, em atracadouros, afloramentos rochosos naturais próximos ao manguezal e em três cultivos de ostras. Confirmou-se a presença de duas espécies de ostras: Crassostrea rhizophorae (Guilding, 1828) e C. gasar (Deshayes, 1830) e que esta última foi geneticamente idêntica à C. brasiliana, relatada em estudos anteriores na costa brasileira. Não houve co-ocorrência das duas espécies no mesmo substrato, mas em dois pontos amostrais estas foram encontradas em ambientes próximos. Crassostrea rhizophorae foi observada nos rizomas/caules de R. mangle, bem como em paredes artificiais de concreto (atracadouros). As ostras semi-enterradas perto das raízes subterrâneas de R. mangle e aderidas a pequenas rochas de um afloramento rochoso foram C. gasar, que também foi a ostra exclusiva nos cultivos.(AU)
Biblioteca responsável: BR68.1
Localização: BR68.1