Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Leishmania (infantum) chagasi in canine urinary sediment / Leishmania (infantum) chagasi em sedimento urinário canino

Mendonça, Ivete Lopes de; Batista, Joilson Ferreira; Alves, Leucio Camara.
R. bras. Parasitol. Vet.; 24(1): 92-94, Jan.-Mar. 2015. tab
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-23956

Resumo

Canine visceral leishmaniasis (CVL) is difficult to diagnosis, mainly due to the presence of asymptomatic animals, the diversity of clinical symptoms and the difficulty in obtaining diagnostic evidence of high sensitivity and specificity. The purpose of this study was to diagnose CVL in urinary sediment of 70 dogs of different breeds, sexes and ages from the veterinary hospital of the Federal University of Piauí and Zoonosis Control Center of Teresina, Brazil. The serological tests were TR DPP® for CVL and enzyme-linked immunosorbent assay (ELISA) for CVL, parasitological exams of bone marrow and lymph nodes and urine sediment cultures. Leishmania was detected in the bone marrow and/or lymph node of 61.0% of the animals (43/70), and urine sediment culture was positive in 9.30% (4/43) of these animals. In the serological exams, 70.0% (49/70) were reactive using the DPP and 78.2% (55/70) were reactive using ELISA. The goal of this study was to diagnose the presence of L. (infantum) chagasi in a culture of urinary sediment.(AU)
A leishmaniose visceral canina (LVC) é uma doença de difícil diagnóstico. Principalmente devido à presença de animais assintomáticos, a diversidade da sintomatologia clínica apresentada e também pela dificuldade em se obter uma prova diagnóstica que reúna alta sensibilidade e especificidade. O objetivo deste trabalho foi relatar a presença de L. (infantum) chagasi em meio de cultura, utilizando-se sedimento urinário. Foram utilizados neste experimento, 70 cães provenientes do Hospital Veterinário Universitário da Universidade Federal do Piauí e do Centro de Controle de Zoonoses de Teresina, com raça, sexo e idade variada. Foram realizados exames sorológicos: TR DPP® Leishmaniose Visceral Canina (DPP) e Ensaio Imunoenzimático Leishmaniose Visceral Canina (ELISA), exames parasitológicos de amostras de medula e/ou linfonodo e cultura de sedimento urinário. Em 61,0% (43/70) dos animais estudados, observou-se presença de Leishmania em medula e/ou linfonodo, e destes 9,30% (4/43) foram positivos na cultura de sedimento urinário. Nos exames sorológicos, 70,0% (49/70) dos animais apresentavam-se reativos no DPP e 78,2% (55/70) no ELISA. Pode-se concluir, neste estudo, que é possível diagnosticar a LVC por meio da cultura de sedimento urinário.(AU)
Biblioteca responsável: BR68.1
Localização: BR68.1