Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

First case report of nematode parasitic myelopathy in a wild feline in Brazil / Primeiro relato de caso de mielopatia parasitária causada por nematódeo em um felídeo selvagem no Brasil

Dazzi, Cláudia Ceruti; Santos, Alex dos; Machado, Tanise Policarpo; Ataíde, Michelli Westphal de; Rodriguez, Rubens; Pereira, Ananda Müller; García, Paulina Sepúlveda; Motta, Adriana Costa da.
R. bras. Parasitol. Vet.; 29(1): e014619, 2020. ilus
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-24422

Resumo

Parasitic myelopathy caused by Gurltia paralysans in domestic cats is a disease commonly reported in several South American countries. The adult parasite is lodged in the meningeal veins and spinal cord, often causing clinical manifestations of vascular proliferation, thrombophlebitis, and medullary compression. Wild felines are believed to be the definitive hosts of this parasite. The infection occurs through the ingestion of paratenic hosts, but the life cycle of G. paralysans is not yet clearly understood. In this paper, we discuss a case of parasitic myelopathy in a margay (Leopardus wiedii) that died during post-surgical care. Necropsy revealed focal hemorrhages in the thoracolumbar spinal cord. A microscopic examination revealed adult nematodes and eggs inside the veins of subarachnoid space in spinal cord, suggesting G. paralysans infection. This is first description of parasitic myelopathy in a margay in Brazil.(AU)
Mielopatia parasitária causada por Gurltia paralysans em gatos domésticos é uma doença comumente relatada em vários países da América do Sul. O parasita adulto aloja-se nas veias das meninges e da medula espinhal, muitas vezes causando proliferação vascular, tromboflebite e compressão medular, que se manifestam como sinais clínicos. Acredita-se que os felídeos selvagens sejam hospedeiros definitivos deste parasita e que a infecção ocorre por ingestão de hospedeiros paratênicos, entretanto seu ciclo de vida completo é desconhecido. Aqui, apresentamos um caso de um gato-maracajá (Leopardus wiedii) que morreu durante a assistência pós-cirúrgica. Na necropsia, foram observadas hemorragias focais na medula espinhal toracolombar. A microscopia revelou presença de nematódeos adultos e ovos, localizados dentro das veias do espaço subaracnoide da medula espinhal, o que sugeriu a infecção por G. paralysans. Esta é a primeira descrição de mielopatia parasitária em um gato-maracajá no Brasil.(AU)
Biblioteca responsável: BR68.1
Localização: BR68.1