Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Brazilian spotted fever serological survey among equids at the Guarapiranga Dam area in the city of São Paulo, Brazil / Investigação sorológica da febre maculosa brasileira entre equídeos na área da represa de Guarapiranga, na cidade de São Paulo, Brasil

Moraes Filho, Jonas; Sousa, Amanda Oliveira de; Carvalho, Tania Regina Vieira de; Labruna, Marcelo Bahia.
Braz. j. vet. res. anim. sci; 56(4): e158601, Dezembro 03, 2019. mapas, graf
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-25059

Resumo

In the Guarapiranga dam region located in the metropolitan area of São Paulo, human cases have been reported of Brazilian spotted fever (BSF), a tick-borne disease caused by the bacterium Rickettsia rickettsii. In this area, R. rickettsii is known to be transmitted to humans by Amblyomma aureolatum, a typical dog tick that is not associated with horses. In other BSF-endemic areas, R. rickettsii transmission is associated with Amblyomma sculptum, a tick species that typically infest capybaras and horses. The Guarapiranga Dam bears abundant populations of capybaras and horses. However, since nothing is known about a possible cycle of transmission of R. rickettsii by A. sculptum in this area, this study evaluated such transmission by performing a serosurvey of horses living in the Guarapiranga Dam region. A total of 206 equids living in the margins of the Guarapiranga Dam were serologically tested for antibodies reactive to five Rickettsia species, four of the spotted fever group (R. rickettsii, R. parkeri, R. amblyommatis, R. rhipicephali) and one basal group species, R. bellii. Overall, 171 (83%) equids reacted positively to at least one Rickettsia species. A total of 160 (78%), 123 (60%), 80 (39%), 72 (35%), and 71 (34%), equid sera reacted to R. bellii, R. rickettsii, R. parkeri, R. rhipicephali, and R. amblyommatis, respectively, with endpoint titers ranging from 64 to 1024 for R. bellii, and 64 to 512 for the remaining four Rickettsia species. Endpoint titers to R. bellii (median: 256) was significantly higher (P<0.05) than the endpoint titers to the other four Rickettsia species, for which the median values varied from 64 to 128. A total of 65 (32%) equid sera showed endpoint titers to R. bellii at least 4-fold higher than those to any of the other four antigens, indicating that they have been exposed to R. bellii or a very closely related species. Our results provide serological evidence that the sampled equids were not frequently exposed to R. rickettsii-infected ticks. Since horses are a highly suitable sentinel for R. rickettsii transmission by A. sculptum, we conclude that this tick species has no epidemiological role in the transmission of R. rickettsii in the BSF-endemic area of the Guarapiranga Dam in the metropolitan area of São Paulo.(AU)
Na região da represa de Guarapiranga localizada na área metropolitana de São Paulo, têm sido relatados casos humanos de Febre Maculosa Brasileira (FMB), uma doença transmitida por carrapatos causada pela bactéria Rickettsia rickettsii. Nesta área de estudo, R. rickettsii é conhecida por ser transmitida aos seres humanos pelo Amblyomma aureolatum, um carrapato de cão que não está associado a cavalos. Em outras áreas endêmicas da FMB, a transmissão de R. rickettsii está associada ao Amblyomma sculptum, uma espécie de carrapato que normalmente infesta capivaras e cavalos. A represa de Guarapiranga possui populações abundantes de capivaras e cavalos; no entanto, como nada se sabe sobre um possível ciclo de transmissão de R. rickettsii por A. sculptum nessa área, este estudo avaliou essa transmissão realizando um levantamento sorológico em cavalos que vivem na região da represa de Guarapiranga. Um total de 206 equídeos que vivem nas margens da represa de Guarapiranga foram testados sorologicamente para cinco espécies de Rickettsia, sendo quatro do grupo da FMB (R. rickettsii, R. parkeri, R. amblyommatis, R. rhipicephali) e um do grupo basal (R. bellii). No geral, 171 (83%) equídeos reagiram positivamente a pelo menos uma espécie de Rickettsia. Um total de 160 (78%), 123 (60%), 80 (39%), 72 (35%) e 71 (34%), reagiram a R. bellii, R. rickettsii, R. parkeri, R. rhipicephali e R. amblyommatis, respectivamente, com títulos finais variando de 64 a 1024 para R. bellii e 64 a 512 para as quatro espécies restantes de Rickettsia. Os títulos finais para R. bellii (mediana: 256) foram significativamente maiores (P <0,05) do que os títulos para as outras quatro espécies de Rickettsia, para os quais os valores medianos variaram de 64 a 128. Um total de 65 (32%) equideos, os soros mostraram títulos finais para R. bellii pelo menos quatro vezes maior que os de qualquer um dos outros quatro antígenos, indicando que eles foram expostos a R. bellii ou a uma espécie muito próxima. Os resultados obtidos fornecem evidências sorológicas de que os equídeos amostrados não eram frequentemente expostos a carrapatos infectados por R. rickettsii. Como os cavalos são um sentinela altamente adequado para a transmissão de R. rickettsiipor A. sculptum, a conclusão obtida foi que essa espécie de carrapato não tem papel epidemiológico na transmissão da bactéria na área endêmica de FMB da represa de Guarapiranga na região metropolitana de São Paulo.(AU)
Biblioteca responsável: BR68.1
Localização: BR68.1