Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

The effects of intrathecal administration of betamethasone over the dogs' spinal cord and meninges / Efeitos determinados na medula e nas meninges pela administração subaracnóidea de betametasona em cães

Barros, Guilherme Antonio Moreira de; Marques, Mariângela Esther Alencar; Ganem, Eliana Marisa.
Acta cir. bras.; 22(5): 361-365, Sept.-Oct. 2007. ilus, tab
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-2518

Resumo

PURPOSE: To determinate the potential clinical and histological changes due the injection of betamethasone, when administered into the canine intrathecal space. METHODS: Twenty one animals were included in a random and blind manner in the study. After general anesthesia, intrathecal puncture was performed and 1 ml of the random solution was injected. The G1 dogs received 0.9 percent saline solution, the G2 dogs received 1.75 mg betamethasone and the G3 dogs received 3.5 mg of betamethasone. The animals were clinically evaluated for 21 days and then sacrificed. The lumbar and sacral portions of the spinal cord were removed for light microscopy histological analyses. RESULTS: No clinical changes were observed in any of the animals included in this study. No histological changes were observed in G1 animals. Inflammatory infiltration was observed in two dogs, one in G2, another in G3. Hemorrhage and necrosis were also seen in the G2 dog which inflammatory infiltration was detected. In other two dogs, one from G2 and another from G3, there was discreet fibrosis and thickness of the arachnoid layer which was focal in one and diffuse in the other. CONCLUSION: Intrathecal administration of betamethasone caused histological changes in the spinal cord and meninges in some of the dogs involved in this study.(AU)
OBJETIVO: Determinar possíveis alterações clínicas e histológicas determinadas pela administração da betametasona no espaço subaracnóideo de cães. MÉTODOS: Vinte e um cães foram incluídos no estudo de forma aleatória e encoberta. Depois de anestesiados, os cães foram submetidos a punção subaracóidea com injeção de 1 ml da solução sorteada. Os animais receberam solução salina 0,9 por cento em G1, betametasona na dose de 1,75 mg em G2 e betametasona na dose de 3,5 mg em G3. Todos os animais foram mantidos em observação clínica por 21 dias, sendo posteriormente sacrificados. Porções da medula espinhal e sacral foram removidas para análise histológica por microscopia óptica. RESULTADOS: Não foram detectadas alterações clínicas em quaisquer dos animais incluídos no estudo. Da mesma forma, nenhum animal do G1 apresentou alterações histológicas. Infiltração inflamatória foi observada em dois cães, um do G2 e outro e G3. No cão do G2 onde a infiltração inflamatória foi observada ocorreu, conjuntamente, hemorragia e necrose. Em dois cães, um de G2 e outro de G3, observou-se discreta fibrose e espessamento da aracnóide, sendo focal em um e difusa no outro. CONCLUSÃO: A administração subaracnóidea de betametasona determinou alterações histológicas em medula e meninges de alguns dos cães envolvidos no estudo.(AU)
Biblioteca responsável: BR68.1
Localização: BR68.1