Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Use of testicular tone and echogenicity in identifying boars with low sperm quality / Uso de tônus e ecogenicidade testiculares na identificação de reprodutores suínos com baixa qualidade espermática

Paschoal, A. F. L; Santos, J. T; Mellagi, A. P. G; Bernardi, M. L; Wentz, I; Bortolozzo, F. P.
Arq. bras. med. vet. zootec; 71(4): 1277-1285, jul.-ago. 2019. tab, graf, ilus
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-25241

Resumo

This study aimed to evaluate the use of some testicular traits to identify boars with low sperm morphological quality. The consistency (scores from 1 to 5), tone with tonometry (mm), parenchyma echogenicity and heterogeneity with ultrasound (pixel) were assessed in 402 mature boars (18.5 months on average). Sperm abnormality thresholds (≤ 25% of total sperm abnormalities, ≤ 5% of heads, acrosome, neck or midpiece defects, ≤ 10% tail defects, and 15% cytoplasmic droplets) were used to classify boars as approved or disapproved. Three classes of testicular traits were formed (extremely low and high values, approximately 15% each, were kept in separated classes). When the traits were individually evaluated, fewer boars were approved if the echogenicity or heterogeneity were high, or if the tone was rigid. When evaluated in combination, the interaction between heterogeneity and tone, and between heterogeneity and echogenicity were significant. The high heterogeneity combined with soft tone or with hypo-echogenicity resulted in lower approval of boars. Tonometry and ultrasonography have a moderate potential to be included in breeding soundness examination of boars. When combined, they provide more reliable information about the impact of testicular parenchymal alterations on morphology of sperm cells.(AU)
O estudo objetivou avaliar o uso de características testiculares para identificar reprodutores com baixa qualidade de morfologia espermática. A consistência (escore de 1 a 5), o tônus por tonometria (mm), a ecogenicidade e a heterogeneidade do parênquima testicular por ultrassonografia (pixel) foram avaliados em 402 machos suínos maduros (18,5 meses, em média). Limiares máximos de anormalidades espermáticas (≤ 25% de defeitos totais, ≤ 5% de defeitos de cabeça, acrossoma, colo e peça intermediária, ≤ 10% de defeitos de cauda e 15% de gota citoplasmática) foram utilizados para classificar os machos como aprovados ou reprovados. Três classes de características testiculares foram formadas (valores extremamente baixos e altos, aproximadamente 15% em cada, foram mantidos em classes separadas). Quando as características testiculares foram avaliadas individualmente, menos machos foram aprovados se a ecogenicidade ou a heterogeneidade foram altas, ou se o tônus era rígido. Quando avaliadas em combinação, a interação entre heterogeneidade e tônus e a interação entre heterogeneidade e ecogenicidade foram significativas. A alta heterogeneidade combinada com testículos flácidos ou com testículos hipoecogênicos resultou em menor aprovação de cachaços. A tonometria e a ultrassonografia possuem potencial moderado para serem incluídas no exame andrológico de cachaços. Quando combinadas, as técnicas fornecem uma informação mais consistente do impacto das alterações do parênquima testicular na morfologia das células espermáticas.(AU)
Biblioteca responsável: BR68.1
Localização: BR68.1