Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Ruminal degradation of dry matter, crude protein and fiber fraction of oilseed byproducts / Degradação ruminal da matéria seca, proteína bruta e fração fibrosa de coprodutos de oleaginosas

Antunes, Ana Paula da Silva; Pires, Aureliano José Vieira; Teixeira, Fábio Andrade; Carvalho, Gleidson Giordano Pinto de; Corrêa, Marcelo Mendes; Monção, Flávio Pinto; Ribeiro, Leandro Sampaio Oliveira; Dias, Daniel Lucas Santos; Rocha, Wéder Jânsen Barbosa; Tolentino, Daniella Cangussú.
Semina Ci. agr.; 40(5,supl.1): 2417-2426, 2019. tab
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-25627

Resumo

The objective was to evaluate the rumen degradability of dry matter, crude protein and fiber fraction of some oilseed byproducts. Oilseed byproducts evaluated were: Sunflower Meal, Cotton Cake and Castor Bean Cake. The rumen degradability test was performed following a split plot randomized complete block design with three treatments (plots) and seven incubation times (subplots) and six blocks (animals). The readily soluble fraction of the dry matter of sunflower meal was 35.0% higher than the same fraction of cotton cake and castor bean cake (mean 24.46%, P < 0.01). The highest potential degradability of crude protein (P < 0.01) was verified in castor bean cake (96.90%, 5% rate of passage). Sunflower meal had the lowest insoluble fraction of the fiber fraction, 34.4%, compared to cotton cake and castor bean cake, with 64.4% and 39.4%, respectively (P < 0.01). Sunflower meal had the highest fiber effective degradability (25.2%). Sunflower meal presented better values of ruminal parameters of dry matter, crude protein and neutral detergent fiber in relation to the other byproducts.(AU)
Objetivou-se avaliar a degradabilidade ruminal da matéria seca, proteína bruta e fração fibrosa de alguns coprodutos de oleaginosas. Os coprodutos de oleaginosas avaliados foram: Farelo de Girassol, Torta de Algodão e Torta de Mamona. O ensaio de degradabilidade ruminal foi conduzido seguindo o delineamento em blocos casualizados em esquema de parcelas subdivididas com três tratamentos (parcelas) e sete tempos de incubações (subparcelas) e seis blocos (animais. A fração prontamente solúvel da matéria seca do farelo de girassol foi 35,0 % superior em relação à mesma fração dos coprodutos torta de algodão e torta de mamona (média 24,46%; P < 0,01). A maior degradabilidade potencial da proteína bruta (P < 0,01) foi verificada na torta de mamona (96,90%; taxa de passagem de 5%). O farelo de girassol apresentou menor fração insolúvel potencialmente degradável da fração fibrosa, 34,4%, em relação à torta de algodão e torta de mamona que apresentaram média de 64,4% e 39,4%, respectivamente (P < 0,01). O farelo de girassol apresentou maior degradabilidade efetiva da fibra (25,2%). O farelo de girassol apresentou melhores valores dos parâmetros ruminais da matéria seca, proteína bruta e fibra em detergente neutro em relação aos demais coprodutos.(AU)
Biblioteca responsável: BR68.1
Localização: BR68.1