Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Autosomal recessive inheritance of cutaneous asthenia in a dog: case report / Astenia cutânea autossômica recessiva em cão: relato de caso

Saigali, Pedro Henrique França; Jardim, Paulo Henrique de Affonseca; Rondon, Eric Schmidt.
Semina Ci. agr.; 41(2): 731-736, Mar.-Apr. 2020. ilus
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-27125

Resumo

Cutaneous asthenia (CA) or Ehlers-Danlos Syndrome, in dogs, is a rare hereditary syndrome caused by autosomal dominant inheritance that causes collagen synthesis failure and leads to hyperextensibility and cutaneous fragility. This report describes a clinical case of canine CA of hereditary recessive origin, hitherto proven for other species, in an animal born from inbreeding healthy parents. A one-year-old female Maltese dog received clinical and surgical care for a cutaneous wound after a hygienic bath. The clinical history revealed the occurrence of other injuries that were caused by minor trauma and the consanguinity of the patient. During wound cleaning, the trichotomy and removal of an adhesive tape that was fixed to the skin generated new lacerations, which led to clinical suspicion of CA. CA was confirmed by calculating the cutaneous extensibility index (CEI), which was 22%, higher than the normal limit for the species (14.5%). The skin biopsy confirmed the clinical diagnosis, and the wound of the animal was treated routinely and healed clinically. Both dominant and recessive patterns have been well documented in cats; however, in dogs, only the dominant form has been reported in the literature. Our findings demonstrate that canine CA may result from autosomal recessive inheritance, and CA must be considered during diagnostic clinical approaches and breeding selections.(AU)
A astenia cutânea (CA) ou Síndrome de Ehlers-Danlos, em cães, é uma síndrome hereditária rara, causada por gene autossômico dominante que resulta em falha na síntese de colágeno levando à hiperextensibilidade e à fragilidade cutâneas. O objetivo deste trabalho é relatar a existência de astenia cutânea canina de origem hereditária recessiva, até agora comprovada para outras espécies, a partir da descrição de um caso clínico de CA em um animal nascido de união consanguínea de pais saudáveis. Uma cadela Maltês, com um ano de idade, recebeu atendimento clínico-cirúrgico por apresentar uma ferida cutânea após um banho higiênico. A história clínica revelou a ocorrência de outros ferimentos provocados por pequenos traumas e a origem consanguínea da paciente. Durante a limpeza da ferida, a tricotomia e a remoção de uma fita adesiva fixada à pele geraram novas lacerações levantando à suspeita clínica de astenia cutânea, confirmada pelo cálculo do índice de extensibilidade cutânea (CEI) que resultou em 22%, valor superior ao limítrofe de normalidade para a espécie (14,5%). A biopsia cutânea confirmou o diagnóstico clínico. A ferida do animal foi tratada rotineiramente resultando em cura clínica. Tanto as formas dominante e recessiva foram bem documentadas em gatos; entretanto, em cães, somente a forma dominante havia sido descrita pela literatura. Concluiu-se que a astenia cutânea canina pode advir de herança autossômica recessiva e isto deve ser considerado durante a abordagem clínica visando o diagnóstico e a seleção racial.(AU)
Biblioteca responsável: BR68.1
Localização: BR68.1