Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Molecular evaluation of piroplasms and hematological changes in canine blood stored in a clinical laboratory in Niterói, Rio de Janeiro / Avaliação molecular de piroplasmídeos e alterações hematológicas em amostras de sangue de cães armazenadas em laboratório de análises clínicas de Niterói, Rio de Janeiro

Santos, Fernanda Barbosa dos; Gazeta, Gilberto Salles; Correa, Laís Lisboa; Lobão, Lucas Fernandes; Palmer, João Pedro; Dib, Laís Verdan; Damasceno, José André Lessa; Moura-Martiniano, Nicole Oliveira; Bastos, Otilio Machado Pereira; Uchôa, Claudia Maria Antunes; Barbosa, Alynne da Silva.
R. bras. Parasitol. Vet.; 29(3): e012420, 2020. graf, tab
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-27294

Resumo

Piroplasm species were analyzed by molecular tools in total 31 blood samples from positive dogs, previously checked by stained slides, stored until DNA extraction between 2016 to 2018 in the laboratory Clinical Analyzes in Niterói, Rio de Janeiro. The piroplasms were identified by PCR, targeting the 18S rRNA gene and sequencing. From the total number of samples only 24 (77.4%) were positive and show adequate nucleotide sequences for interpretation with identity between 93%-100% with Babesia vogeli in compared to the sequences isolated of infected dogs from other states in Brazil deposited on GenBank. Most of dogs infected with B. vogeli had anemia (62.5%) and thrombocytopenia (95.8%). The findings of this study are compatible with previous reports in the literature and highlight B. vogeli as the most incriminated species in canine piroplasmosis in Brazil, and thrombocytopenia the hematological alteration most frequently identified in this infection. It is important to note that this is the first study involving the molecular characterization of piroplasms in the metropolitan region of Rio de Janeiro, based on PCR followed by sequencing.(AU)
Espécies de piroplasmídeos foram analisadas por meio de métodos moleculares, em 31 amostras de sangue de cães, previamente verificadas em lâminas coradas, estocadas até a extração de DNA entre 2016 a 2018 em laboratório de Análises Clínicas, em Niterói, Rio de Janeiro. Os piroplasmídeos foram identificados pela PCR, utilizando-se como alvo o gene 18S RNAr e, posteriormente, o sequenciamento. Do total de amostras analisadas, somente 24 (77,4%) foram positivas e apresentaram sequências nucleotídicas adequadas para interpretação com identidade variando entre 93% a 100% com B. vogeli, em comparação com as sequências isoladas de cães infectados de outros estados do Brasil, depositadas no GenBank. A maioria das amostras de sangue dos cães detectados com B. vogeli apresentaram, no hemograma, anemia (62,5%) e trombocitopenia (95,8%). Os resultados detectados neste estudo estão compatíveis com o evidenciado na literatura, pois B. vogeli tem sido a espécie mais relatada nas infecções caninas no Brasil, sendo a trombocitopenia a alteração hematológica mais evidenciada nas amostras analisadas. É importante ressaltar que este é o primeiro estudo envolvendo análise molecular e caracterização de piroplasmídeos, em amostras de sangue de cães da região metropolitana do Rio de Janeiro, utilizando-se a PCR associada ao sequenciamento.(AU)
Biblioteca responsável: BR68.1
Localização: BR68.1