Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

A new genus and two new species of Stevardiinae (Characiformes: Characidae) with a hypothesis on their relationships based on morphological and histological data

Ferreira, Katiane M; Menezes, Naércio A; Quagio-Grassioto, Irani.
Neotrop. ichthyol; 9(2): 281-298, Apr.-June 2011. ilus, mapas, tab
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-2957

Resumo

Lepidocharax, new genus, and Lepidocharax diamantina and L. burnsi new species from eastern Brazil are described herein. Lepidocharax is considered a monophyletic genus of the Stevardiinae and can be distinguished from the other members of this subfamily except Planaltina, Pseudocorynopoma, and Xenurobrycon by having the dorsal-fin origin vertically aligned with the anal-fin origin, vs. dorsal fin origin anterior or posterior to anal-fin origin. Additionally the new genus can be distinguished from those three genera by not having the scales extending over the ventral caudal-fin lobe modified to form the dorsal border of the pheromone pouch organ or to represent a pouch scale in sexually mature males. In this paper, we describe these two recently discovered species and the ultrastructure of their spermatozoa.(AU)
O trabalhocontém a descrição de um gênero novo, Lepidocharax, e duas espécies novas, Lepidocharax diamantina e L. burnsi do leste do Brasil. Lepidocharax é considerado um gênero monofilético de Stevardiinae e pode ser diferenciado dos outros membros desta subfamília, exceto Planaltina, Pseudocorynopoma e Xenurobrycon principalmente porque as duas espécies nele incluídas têm a origem da nadadeira dorsal verticalmente alinhada com a origem da nadadeira anal, vs. origem da nadadeira dorsal anterior ou posterior a origem da nadadeira anal. Adicionalmente, o novo gênero pode ser distinguido dos mesmos três gêneros por não possuir escamas modificadas localizadas no lobo ventral da nadadeira caudal, formando a borda dorsal do órgão produtor de feromônio ou uma escama modificada do mesmo órgão em machos sexualmente maduros. A ultraestrutura dos espermatozóides das duas espécies recentemente descobertas também é descrita.(AU)
Biblioteca responsável: BR68.1