Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Gray mold in immature fig fruit: pathogenicity and growth temperature / Mofo cinzento em frutos imaturos de figo: patogenicidade e temperatura para crescimento

Czaja, Eliane Aparecida Rogovski; Moreira, Rafaele Regina; Rozwalka, Luciane Cristina; Figueiredo, Josiane Aparecida Gomes; Mio, Louise Larissa May De.
Ci. Rural; 46(9): 1524-1527, Sept. 2016. ilus, tab, graf
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-29651

Resumo

Several diseases can be associated with figs but recently a fruit rot was observed in green fruit. The purpose of this study was to determine the pathogenicity of Botrytis sp., to quantify incubation period (IP) and latent period (LP), to verify the optimum temperature for mycelial growth, and to identify the different species of Botrytis sp. isolated from immature figs. Botrytis sp. isolated from figs proved to be pathogenic to immature fruit with and without wounding the fruit surface and ostiole. The IP period was 3 days on fruit with wounds and 5 days on fruit inoculated within the ostiole (without wound). The LP was 6 days in all treatments. The optimum temperature for mycelial growth was 18°C. Inferred from sequences of a segment comprising the ITS region of ribosomal DNA concluded that the isolates are Botrytis cinerea.(AU)
Várias doenças podem estar associadas com figos, mas recentemente uma podridão dos frutos foi observada em frutos verdes. O objetivo deste estudo foi determinar a patogenicidade de Botrytis sp., quantificar o período de incubação (PI) e o período de latência (PL), verificar a temperatura ótima para o crescimento micelial e identificar as diferentes espécies de Botrytis sp. isoladas a partir de frutos imaturos de figo. Botrytis sp. isolado a partir de figos provou ser patogênico em frutos imaturos com e sem ferimento na superfície dos frutos e no ostíolo. O PI foi de 3 dias em frutos com ferimento e 5 dias em frutos inoculados no ostíolo e sem ferimento. O PL foi de 6 dias em todos os tratamentos. A temperatura ótima de crescimento micelial foi18°C. A partir de sequências de um segmento que compreende a região de ITS do DNA ribossomal, concluiu-se que os isolados são Botrytis cinerea.(AU)
Biblioteca responsável: BR68.1
Localização: BR68.1