Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Reproductive cycle of the mangrove oyster, Crassostrea rhizophorae (Bivalvia: Ostreidae) cultured in a macrotidal high-salinity zone on the Amazon mangrove coast of Brazil / Ciclo reprodutivo da ostra do mangue, Crassostrea rhizophorae (Bivalvia: Ostreidae) cultivada em uma zona de macromarés de alta salinidade na costa de manguezais da Amazônia do Brasil

Antonio, Ícaro; Sousa, Ana; Lenz, Tiago; Funo, Izabel; Lopes, Rodolf; Figueiredo, Marina.
Acta amaz.; 51(2): 113-121, abr.-jun. 2021. graf, tab, ilus
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-31399

Resumo

This study aimed to establish the reproductive cycle of the mangrove oyster, Crassostrea rhizophorae cultured in the macrotidal estuary of the Paciência River, Maranhão state, on the northeastern coast of Brazil, and its relationship with environmental factors. Oysters were collected monthly throughout 2013 for histological analysis of sex ratio, gonadal development and condition index. The sex ratio was 1:1.39 (M:F) and only 5 specimens presented hermaphroditism. The breeding process was continuous throughout the year and mature (IIIA stage) and spawning oysters (IIIB stage) were present in practically all months. Low variation in temperature seemed to be the main factor for the continuity of the reproductive cycle. Besides temperature, the relationship between rainfall, salinity and primary productivity affected the stimulus and timing of reproductive events. The rainy season, with low values of salinity and high values of chlorophyll a and particulate organic matter, appeared to be the main reproductive period, with release of gametes and production and maturation of new gamete cohorts in the short term. In the tropics, where gamete maturation and release seem to be continuous and concomitant, the condition index does not appear to be the best method to assess reserve accumulation peaks and gonadal repletion.(AU)
Este estudo teve como objetivo estabelecer o ciclo reprodutivo da ostra do mangue, Crassostrea rhizophorae cultivada no estuário de macromarés do Rio Paciência, Maranhão, na costa nordeste do Brasil, e suas relações com fatores ambientais. As ostras foram coletadas mensalmente ao longo de 2013 para análise histológica da proporção sexual, desenvolvimento gonadal e índice de condição. A proporção sexual foi de 1:1,39 (M:F) e apenas 5 espécimes apresentaram hermafroditismo. A maturação foi contínua ao longo do ano e ostras maduras (estágio IIIA) e em desova (estágio IIIB) estiveram presentes em praticamente todos os meses. A baixa variação de temperatura parece ser o principal fator para a continuidade da gametogênese. Entretanto, além da temperatura, a relação entre precipitação, salinidade e produtividade primária afetou o estímulo e o tempo dos eventos reprodutivos. A estação chuvosa, com baixos valores de salinidade e altos valores de clorofila a e matéria orgânica particulada, pareceu ser o principal período reprodutivo, com liberação de gametas e produção e maturação de novas coortes de gametas em curto prazo. Nos trópicos, onde a maturação e liberação de gametas parecem ser contínuas e concomitantes, o índice de condição não se apresenta como o melhor método para avaliar os picos de acúmulo de reserva e desenvolvimento gonadal.(AU)
Biblioteca responsável: BR68.1
Localização: BR68.1