Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Meat quality and cut yield of pigs slaughtered over 100kg live weight / Qualidade de carne e rendimento de cortes de suínos abatidos acima de 100kg de peso vivo

Bertol, T M; Oliveira, E A; Coldebella, A; Kawski, V L; Scandolera, A J; Warpechowski, M B.
Arq. bras. med. vet. zootec. (Online); 67(4): 1166-1174, July-Aug. 2015. tab
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-324250

Resumo

Meat quality and cut yield of pigs slaughtered between 100 and 150kg live weight were evaluated. Pigs (417 Agroceres PIC barrows and gilts) were fed a daily allowance of 2.8kg per head from 80kg until 100.71±0.85, 118.58±0.99, 134.07±1.18 or 143.90±1.24kg live weight. Seventy-one pigs were used for the evaluation of primal and subprimal cuts. There was no interaction between sex and slaughter weight for any of the evaluated parameters. Ham, shoulder, and loin weights linearly increased (P<0.01; R2: 84.3-93.2%) with increasing slaughter weight, which, however, had little effect on primal cuts meat yield. Increasing slaughter weight promoted a linear (P<0.05) and a quadratic (P<0.01) increase of red/green coordinate (a* value) of the loin and ham, respectively. Shear force showed a quadratic response (P<0.05), with minimum value estimated at 122kg slaughter weight. It was concluded that, under the applied management, increasing slaughter weight increased the volume of meat, but had little effect on meat yield. The meat of pigs slaughtered at heavier weights showed more intense red color and the same intramuscular fat content as lighter pigs, while tenderness was slightly affected.(AU)
Foi avaliada a qualidade da carne e os cortes de suínos abatidos entre 100 e 145kg de peso vivo. Os suínos (417 machos castrados e fêmeas, linhagem Agroceres PIC) foram mantidos sob fornecimento programado de 2,8kg de ração por animal por dia a partir de 80kg até o abate aos: 100,71±0,85, 118,58±0,99, 134,07±1,18 ou 143,90±1,24kg de peso vivo. Destes, 71 suínos foram usados para avaliação dos cortes primários e secundários. Não foi observada interação entre sexo e peso de abate em nenhuma das variáveis avaliadas. Os pesos do pernil, da paleta e do carré aumentaram linearmente (P<0,01; R2entre 84,3 e 93,2%) com o peso de abate, com pouco efeito sobre o rendimento da carne. A coordenada vermelho/verde (valor de a*) aumentou linearmente (P<0,05) no lombo e de forma quadrática (P<0,01) no pernil com o aumento do peso de abate. A força de cisalhamento apresentou resposta quadrática (P<0,05), com redução até o valor mínimo estimado para os 122kg de peso vivo. Conclui-se que, com o manejo utilizado neste estudo, a elevação do peso de abate resulta em aumento na quantidade de carne produzida, com pouco efeito sobre o rendimento de carne. A carne de suínos abatidos em pesos elevados apresenta cor vermelha mais intensa e mesmo nível de gordura intramuscular que a carne de suínos mais leves, enquanto a maciez é alterada apenas de maneira discreta.(AU)
Biblioteca responsável: BR1.1
Localização: BR68.1