Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Growth bioestimulant in marandu grass cultivated in the amazon biome / Bioestimulante em pasto de marandu cultivado no bioma amazônico

Reis, Grazielle de Carvalho; Oliveira, Wildiney Freire de; Silva, Camila Cunha da; Silva, Bruno Pereira da; Simão, Sergio Domingos; Casagrande, Daniel Rume; Rodrigues, João Paulo Pacheco; Alves, Kaliandra Souza; Maciel, Raylon Pereira; Mezzomo, Rafael.
Semina Ci. agr.; 41(06,supl. 2): 3335-3350, 2020. graf, tab
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-32570

Resumo

This study aimed to evaluate the effects of a biostimulant on the morphogenesis, structure, productivity, and chemical composition of Urochloa brizantha cv. Marandu, managed under two nitrogen fertilization levels. Collections were carried out during the dry (June to September) and the rainy season (September to April). The experimental area was divided into 48 plots of 8 m² each, using a randomized block design in a 4 × 2 factorial arrangement (0, 1, 2, and 3 L ha−¹ of biostimulant × 50 and 150 kg N ha−¹ year−¹), and subdivided over time into dry and rainy seasons. Treatments were applied in a single dose. An interaction was observed between biostimulant and nitrogen fertilization for the total forage dry matter production and daily forage dry matter production, in which an increase of 30.1 and 25.3% was observed in the total dry matter production and 33.7 and 27.6% in the daily dry matter production when using 1 and 2 L ha−¹ of biostimulant, respectively, compared to the non-application of biostimulant and with fertilization of 50 kg N ha−¹ year−¹. The leaf life-span showed a triple interaction (biostimulant × nitrogen fertilization × season), and a decomposition of the interaction showed that the fertilization of 150 kg N ha−¹ year−¹ provided a shorter leaf life-span during the dry season, with no difference for the other combinations of factors. No interactions were found for the chemical-bromatological composition, with no differences for the biostimulant application. Biostimulant doses of 1 and 2 L ha−¹ increase the dry matter production per hectare in the nitrogen fertilization of 50 kg N ha−¹ year−¹, but its action is not effective with the highest nitrogen fertilization (150 kg N ha−¹ year−¹).(AU)
Objetivou-se avaliar os efeitos de um bioestimulante sobre a morfogênese, estrutura, produtividade e composição química do capim de Urochloa brizantha cv. Marandu, manejado sob dois níveis de adubação nitrogenada. As coletas foram realizadas no período de seca (junho até setembro) e período chuvoso (setembro a abril). A área experimental foi dividida em 48 parcelas de 8 m² cada, sendo utilizado o delineamento em blocos ao acaso em arranjo fatorial 4×2 (0, 1, 2 e 3 L ha-¹ de Bioestimulante x 50 e 150 kg de N ha-¹ ano-¹) e subdividida ao longo do tempo, em período de seca e período chuvoso. As aplicações dos tratamentos foram feitas em dose única. Houve interação entre bioestimulante e adubação nitrogenada para a Produção de massa seca de forragem total e produção de massa seca de forragem diária, em que observou-se aumento de 30,1% e 25,3% na produção de matéria seca total e de 33,7% e 27,6% na produção de matéria seca por dia, ao utilizar 1 e 2 L ha-¹ de bioestimulante, respectivamente, quando comparado a não aplicação de bioestimulante e com adubação de 50 kg de N ha-¹ ano-¹. A duração de vida das folhas (DVF) apresentou interação tripla (Bioestimulante x Adubação nitrogenada x Período) sendo que o desdobramento da interação demonstrou que a adubação de 150 kg de N ha-¹ ano-¹ proporcionou menor duração de vida das folhas, no período de seca sem apresentar diferença para as demais combinações de fatores. Não foi observado interações para composição químico-bromatológica e não houve diferenças com a aplicação do bioestimulante. As dosagens de 1 e2 L ha-¹ do bioestimulante, aumenta a produção de matéria seca por hectare na adubação nitrogenadade 50 kg de N ha-¹ ano-¹, porém com a adubação nitrogenada mais alta (150 kg ha ano-¹ de N) a sua ação não é efetiva.(AU)
Biblioteca responsável: BR68.1
Localização: BR68.1