Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Morfofisiologia da inervação do diafragma de ovinos / Morphophysiology of diaphragm innervation in sheep

Almeida, Ana E. F. de; Wenceslau, Cristiane V; Teixeira, Dulcinéa G; Araújo, Karla P. C; Morini, Adriana C; Morini Júnior, João C; Ambrósio, Carlos E; Miglino, Maria A; Prada, Irvênia L. S.
Pesqui. vet. bras; 28(9): 399-409, 2008. ilus
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-327

Resumo

Thirty diaphragms of sheep of Santa Inês breed were studied regarding their origin, division and arrangement of the right and left phrenic nerves (Fde), and the participation of other nerves in the innervation of the diaphragm. By fixing and dissecting pieces, it was found that phrenic nerves (F) frequently come from the ventral branches of the 5th (C5) and 6th (C6) cervical spinal nerves (Ec), at right (46.67 percent) and at left (43.33 percent). The F often form a lumbocostal trunk, sternal branches at right (40.00 percent) and lumbar, costal and esternal branches at left (36.68 percent). The lumbar branches of F innervate frequently at left (96.67 percent) the homolateral pillar of the diaphragma, and at right (50.00 percent) they give fillets to Vena cava caudalis. The costal branches of the F innervate at left (90.00 percent) and at right (76.66 percent) the dorsal and ventral regions of the pars costalis. The sternal branches of the F innervate at right (100.00 percent) and at left (83.33 percent) the pars sternalis and the ventral region of the pars costalis at the same side. The intercostal nerves (VII to XII pairs, 63.33 percent) contribute to innervate the diaphragm of Santa Inês sheep.(AU)
Foram estudados em 30 diafragmas de ovinos da raça Santa Inês, a origem, a divisão e a distribuição dos nervos frênicos direito e esquerdo (Fde) e a participação de outros nervos na inervação do diafragma. Mediante fixação e dissecação das peças foi observado que os nervos frênicos (F) originam-se a partir dos ramos ventrais do 5º (C5) e 6º (C6) nervos espinhais cervicais (Ec) tanto à direita (46,67 por cento) como à esquerda (43,33 por cento). Os F finalizam em tronco lombocostal e ramo esternal à direita (40,00 por cento) e em ramo lombar, costal e esternal à esquerda (36,68 por cento). Os ramos lombares dos F inervam à esquerda (96,67 por cento) o pilar homolateral do diafragma e, à direita (50,00 por cento) fornecem filetes à veia caudal. Os ramos costais dos F ramificam à esquerda (90,00 por cento) e à direita (76,67 por cento) as regiões dorsal e ventral da pars costalis. Os ramos esternais dos F inervam à direita (100,00 por cento) e à esquerda (83,33 por cento) a pars sternalis e a região ventral da pars costalis do mesmo lado. Os nervos intercostais (VIII ao XII pares, 63,33 por cento) contribuem na inervação do diafragma de ovinos da raça Santa Inês.(AU)
Biblioteca responsável: BR68.1
Localização: BR68.1