Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

The cost of gold: Mercury contamination of fishes in a Neotropical river food web

Montaña, Carmen G; Liverpool, Elford; Taphorn, Donald C; Schalk, Christopher M.
Neotrop. ichthyol; 19(3): e200155, 2021. tab, graf, ilus
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-32703

Resumo

In South America, mercury contamination due to gold mining operations is a threat to both biodiversity and human health. We examined mercury (Hg) concentrations in fishes that constitute important subsistence fisheries from mined and non-mined tributaries in the middle Mazaruni River, Guyana. Mercury concentrations and trophic food web structure (based on carbon and nitrogen stable isotopes) were characterized for primary basal sources and 39 fish species representing seven trophic guilds. Fishes collected at mined sites had higher mercury concentrations; piscivores and carnivores had the highest Hg concentrations and exhibited significant Hg biomagnification. Our results showed that medium- to large-bodied fishes commonly eaten by local people contained Hg values that exceed the World Health Organization (WHO) criteria, and pose a health concern for riverine communities along the Mazaruni River that depend on fish as their main source of protein. Further research to determine the sources of Hg contamination and how it affects human health in this neotropical river must become a top priority. In addition, more research on how Hg contamination impacts the fishes themselves and overall aquatic biodiversity is also needed in the Mazaruni River which has both high fish endemism and diversity.(AU)
Na América do Sul, a contaminação por mercúrio devido às operações de mineração de ouro é uma ameaça à biodiversidade e à saúde humana. Nós examinamos as concentrações de mercúrio (Hg) em peixes que constituem importantes pescarias de subsistência em afluentes minerados e não minerados no médio rio Mazaruni, Guiana. As concentrações de mercúrio e a estrutura trófica da teia alimentar (baseada em isótopos estáveis ​​de carbono e nitrogênio) foram caracterizadas para fontes basais primárias e 39 espécies de peixes representando sete guildas tróficas. Os peixes coletados em locais minerados tiveram maiores concentrações de mercúrio; piscívoros e carnívoros tiveram as maiores concentrações de Hg e exibiram biomagnificação significativa de Hg. Nossos resultados mostraram que peixes de corpo médio a grande comumente consumidos pela população local continham valores de Hg que excedem os critérios da Organização Mundial de Saúde (OMS) e representam uma preocupação para a saúde das comunidades ribeirinhas ao longo do rio Mazaruni que dependem dos peixes como sua principal fonte de proteína. Outras pesquisas para determinar as fontes de contaminação por Hg e como isso afeta a saúde humana neste rio neotropical devem se tornar uma prioridade. Além disso, mais pesquisas sobre como a contaminação por Hg impacta os próprios peixes e a biodiversidade aquática em geral também são necessárias no rio Mazaruni, que tem alto endemismo e diversidade de peixes.(AU)
Biblioteca responsável: BR68.1
Localização: BR68.1