Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Spleen evaluation using contrast enhanced ultrasonography and Doppler in dogs with subclinical ehrlichiosis / Ultrassonografia por contraste com microbolhas e Doppler na avaliação do baço de cães com erliquiose subclínica

Maronezi, M. C; Feliciano, M. A. R; Crivellenti, L. Z; Borin-Crivellenti, S; Silva, P. E. S; Zampolo, C; Pavan, L; Gasser, B; Simões, A. P. R; Maciel, G. S; Canola, J. C; Vicente, W. R. R.
Arq. bras. med. vet. zootec; 67(6): 1528-1532, Nov.-Dec. 2015. ilus
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-334113

Resumo

The aim of this study was to evaluate the splenic parenchyma of dogs with subclinical ehrlichiosis using Doppler and contrast-enhanced ultrasonography and provide reference values for this organ in affected animals. Seventeen dogs naturally infected with E. canis were selected for this study. Splenic parenchyma echotexture and echogenicity, size and borders were determined by ultrasound scan. The vascular indices of the splenic artery were determined by Doppler. SonoVue, at 0.1mL per animal, was used in microbubble contrast-enhanced ultrasonography to determine wash in, wash out and peak enhancement time in the splenic tissue. B-mode ultrasonography revealed splenomegaly with rounded borders, heterogeneous echotexture and mixed echogenicity. The vascular indices of the splenic artery were: systolic velocity of 22.59±8.07cm/s, diastolic velocity of 5.25±4.66cm/s and resistance index of 0.71±0.14; values not yet reported in Veterinary Medicine. Contrast-enhanced ultrasonography recorded wash in time of 5.31±0.7s, peak enhancement time of 18.56±2.90s and wash out time of 94.56±35.21s. The combination of conventional ultrasonography of the spleen and hemodynamic evaluation by Doppler and contrast-enhanced ultrasonography is important for the diagnosis of canine ehrlichiosis and could help monitor the clinical evolution of subclinical cases(AU)
O objetivo deste estudo foi avaliar o parênquima esplênico de cães com erliquiose na fase subclínica, por meio do Doppler e da ultrassonografia por contraste com microbolhas. Dezessete cães naturalmente infectados por E. canis na fase subclínica foram selecionados para este estudo. Por meio da ultrassonografia, avaliou-se a ecotextura, a ecogenicidade, o tamanho e os bordos do baço e, pelo Doppler, foram determinados os índices vasculares da artéria esplênica dos cães. Para a avaliação por contraste com microbolhas, foi utilizado SonoVue, na dosagem de 0,1mL por animal, e determinou-se o tempo de entrada e saída, bem como o pico de realce no tecido esplênico. Ao exame modo-B, foram observadas esplenomegalia com presença de bordas arredondadas, ecotextura heterogênea e ecogenicidade mista do baço. Ao Doppler, foram encontrados valores para os índices vasculares da artéria esplênica: velocidade sistólica: 22,59±8,07cm/s; velocidade diastólica: 5,25±4,66cm/s; e índice de resistência: 0,71±0,14, valores ainda não descritos em veterinária. Pela ultrassonografia com contraste, observaram-se valores para wash-in de 5,31±0.7s, pico de realce de 18,56±2.90s e wash-out de 94,56±35.21s. A ultrassonografia convencional do baço de cães com erliquiose, associada com a utilização do método Doppler e a ultrassonografia contrastada, é uma importante ferramenta na triagem diagnóstica e pode auxiliar a monitoração e a evolução de animais na fase subclínica(AU)
Biblioteca responsável: BR1.1
Localização: BR68.1