Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Inferência bayesiana da conversão alimentar em diferentes experimentos animais / Bayesian Inference of feed conversion in different animal experiments

Rossi, R. M.; Martins, E. N.; Lopes, P. S.; Silva, F. F.; Marcondes, M. I.; Caetano, G. C.; Ferreira Júnior, H. C.; Knupp, L. S.; Ferreira, M. A..
Arq. bras. med. vet. zootec; 68(2): 466-474, mar.-abr. 2016. tab
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-334183

Resumo

O presente trabalho teve por objetivo avaliar a conversão alimentar (CA) por meio da inferência bayesiana considerando-se análises bivariadas. Foram utilizadas diferentes espécies animais de experimentos conduzidos na Universidade Federal de Viçosa, no estado de Minas Gerais, Brasil. O modelo proposto mostrou ser apropriado, uma vez que possibilitou a detecção de diferenças significativas entre níveis de fatores não detectados por procedimentos frequentistas em ANOVA tradicional, principalmente em pequenas amostras. No experimento com codornas, evidenciou-se que aves cujos níveis de proteína bruta eram de 23% e 29%, respectivamente, para machos e fêmeas, apresentaram uma melhor CA, de 2,83±0,03 e 2,66±0,03, respectivamente. No experimento com frangos, no grupo sem o aditivo antibiótico, a inclusão de 0,02% de extrato de ésteres naturais foi o que promoveu a melhor CA (1,72±0,01), e, de modo geral, o uso de antibiótico e a ausência de ésteres naturais promoveram CA de 1,63±0,02. Em caprinos, verificou-se que o aleitamento, seja com leite de cabra ou de vaca, promove igualmente uma melhor CA, respectivamente, no grupo de 60 e 90 dias, de 1,29±0,14 e 1,79±0,11, sugerindo que o aleitamento seja feito até os 60 dias. Em suínos, a dieta com maior nível de energia metabolizável e aminoácidos foi a que promoveu a melhor CA (2,86±0,07), quando comparada a uma dieta com nível nutricional mais baixo. Já o uso de enzimas na dieta com menor nível energético e de aminoácidos proporcionou resultado intermediário (2,90±007). Em bovinos, observou-se que o uso de 1% de concentrado na dieta promoveria uma melhor CA estimada de 7,33±0,35 entre os Nelores e que essa promoção seria de 7,40±0,58 entre os cruzados com o uso de 2% de concentrado na dieta.(AU)
The aim of this study was to evaluate the feed conversion (CA) by Bayesian inference in bivariate considering analyzes in real and simulated data. Different animal species experiments conducted at the Universidade Federal de Viçosa, state of Minas Gerais, Brazil are used. The proposed model proved to be appropriate once it enabled the detection of significant differences between levels of factors not detected by frequentist procedures with traditional ANOVA, especially in small samples. In the experiment with quails, it became clear that the birds' brute protein levels were 23% and 29%, respectively, for males and females, which presented better CA, 2.83±0.03 and 2.66±0.03, respectively. In the experiment with chickens, the group without additive antibiotic, including 0.02% extract natural esters promoted the best CA (1.72±0.01) and in general antibiotic absence of esters natural promoted 1.63±0.02 of the CA. In goats, it has been found that feeding milk from cows or goats also promotes better CA, respectively, in groups milked up to 60 and 90 days, being 1.29±0.14 and 1.79±0.11, suggesting that suckling done until 60 days. Pigs fed the highest level of metabolizable energy and aminoacids promoted the best CA (2.86±0.07) compared to a diet with lower nutritional level. But the use of enzymes in the diet with lower energy level and amino acid provided intermediate result (2.90±007). In cattle, it was observed that the use of 1% concentrate diet, CA, promotes a better estimate of 7.33±0.35 between Nellore and this promotion would be 7.40±0.58 between the cross breeds using 2% concentrate diet.(AU)
Biblioteca responsável: BR1.1
Localização: BR68.1