Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

In vitro oocyte transport through the oviduct of buffalo and crossbred beef cows / Transporte de oócitos in vitro através do oviduto de búfalas e vacas de corte cruzadas

Carvalho, Nelcio Antonio Tonizza de; Soares, Júlia Gleyci; Vannucci, Fernando da Silva; D'Angelo, Magali; Gallupo, Andréa G; Melo, Gisele M; Souza, Rosimere J; Nichi, Marcílio; Gimenes, Lindsay Unno; Sá Filho, Manoel Francisco de; Martins, Claudiney de Melo; Castriccini, Eduardo; Barusseli, Pietro Sampaio.
Braz. j. vet. res. anim. sci; 49(4): 277-284, 2012.
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-3720

Resumo

The present study was conducted to verify if the elevation of plasma concentrations of estradiol during superovulatory treatments affects the oocyte transport in buffalo females, as well as if the inferior quality of buffalo oocytes and/or some functional difference on the oviduct of these animals is responsible for the low embryo recovery rate in superovulated buffaloes when compared to cows subjected to the same treatment. Oviducts of 10 buffaloes and 15 of cows, treated to induce a single ovulation were used. The oviducts were placed on Petri dishes and received the following treatments: 5 buffalo oocytes with no E2 (G-BufBuf and G-BovBuf), 5 bovine oocytes with no E2 (G-BufBov and G-BovBov), 5 buffalo oocytes with E2 (G-BufE2Buf and G-BovE2Buf) and 5 bovine oocytes with E2 (G-BufE2Bov and G-BovE2Bov; factorial 2x2x2). Oocytes were incubated for 24h. Subsequently, oviducts were washed and oocytes were recovered and counted. Since no interactions were found between E2 treatment, oviducts and oocytes species, main effects were analyzed separately. Recovery rate and number of oocytes was higher on cattle compared to buffaloes (35.0+8.6% and 1.4+0.3 vs. 10.0±4.6% and 0.5±0.2, respectively; p<0.05); no effect of E2 treatment was observed on recovery rate and number of oocytes (29.8±9.0% and 1.3±0.4 vs. 16.9±6.1% and 0.7±0.2, respectively; p>0.05); the number of buffaloes and bovine oocytes recovered were similar (1.4±0.4 and 0.6±0.2, respectively; p>0.05). Oocytes recovery rate showed a trend (P=0.07) to be higher when buffalo oocytes were implanted when compared to bovine oocytes (35.2±9.2% vs. 12.9±5.4%). Present results suggest that oocyte transport by the oviduct of buffaloes and bovine was not dependent on oocytes species or E2 supplementation to the culture medium.(AU)
O presente estudo foi realizado para verificar se a elevação das concentrações plasmáticas de estradiol durante os tratamentos superovulatórios afeta o transporte dos oócitos em fêmeas bubalinas, bem como se a qualidade inferior dos oócitos de búfalos e/ou alguma diferença funcional no oviduto destes animais é responsável pela baixa taxa de recuperação de embriões em búfalas superovuladas quando comparadas a vacas submetidas ao mesmo tratamento. Foram utilizados 10 ovidutos de búfalas e 15 de vacas, tratadas para a indução de ovulação única. Os ovidutos foram colocados em placas de Petri e receberam os seguintes tratamentos: sem E2 e inseridos com 5 oócitos de búfalas (G-BufBuf e G-BovBuf); sem E2 e com 5 oócitos de vacas (G-BufBov e G-BovBov); com E2 e com 5 oócitos de búfalas (G-BufE2Buf e G-BovE2Buf); e com E2 e com 5 oócitos de vacas (G-BufE2Bov e G-BovE2Bov; fatorial 2x2x2). Posteriormente, foram incubados por 24h e, após esse período, foram lavados para a recuperação e contagem dos oócitos. Como não foi verificado efeito de interação, foram analisados os efeitos principais. O número e a taxa de recuperação de oócitos foi maior em ovidutos de vacas que de búfalas (1,4±0,3/35,0±8,6% vs. 0,5±0,2/10,0±4,6%; P<0,05). Foi verificado que o tratamento com ou sem E2 não interferiu no número e na taxa de recuperação de oócitos (1,3±0,4/29,8±9,0% vs. 0,7±0,2/16,9±6,1%; P>0,05). Não foi verificada diferença no número de oócitos de búfalas ou de vacas recuperados (1,4±0,4 e 0,6±0,2; P>0,05). Observou-se também que houve tendência (P=0,07) de maior taxa de recuperação de oócitos de búfalas que de vacas (35,2±9,2% vs. 12,9±5,4%). Os dados são indicativos de que o transporte de oócitos pelo oviduto de búfalas e de vacas independe da espécie do oócito e não é influenciado pelo E2.(AU)
Biblioteca responsável: BR68.1
Localização: BR68.1