Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Rendimento corporal e composição química do filé da viola (Loricariichthys anus) / Body yield and chemical composition of Loricariichthys anus fillet

Rocha, Cleber Bastos; Tavares, Rafael Aldrighi; Fernandes, João Morato; Piedras, Sérgio Renato Noguez; Pouey, Juvêncio Luis Osório Fernandes.
Ci. Anim. bras.; 15(1): 38-44, Jan-Mar. 2014. tab
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-379253

Resumo

Loricariichthys anus (Viola) is currently the largest fish species of economic value of Mangueira Lagoon and, because of that, the aim of this work was to analyze its body yield and the chemical composition of its fillet. Forty animals caught in Mangueira Lagoon were divided into two groups of 20 animals each. The weight presented a variation of 128 to 190g in group A and of 234 to 293g in group B. Biometric evaluation was performed in Ichthyology Laboratory of UFPEL, where the animals were evaluated regarding length and weight, which were used for body yield calculation. Carcass yield, head yield, visceral yield, skin yield, clean trunk yield and fillet yield were evaluated. Chemical analysis was performed in dried fillet to obtain the values of protein, lipids, ash and moisture, and in natural matter to assess the fatty acid content. The weight of animals affects carcass yield. The viola fillet is lean, with high protein content and higher amount of unsaturated fatty acids compared to saturated.(AU)
A viola é atualmente a espécie de peixe de maior valor econômico da Lagoa Mangueira e, tendo em vista este fato, o objetivo deste trabalho foi analisar seu rendimento corporal e a composição química do filé. Quarenta animais capturados na Lagoa Mangueira foram divididos em dois grupos de 20 animais cada. O peso apresentou uma variação de 128 a 190g no grupo A e de 234 a 293 g no grupo B. A avaliação biométrica foi realizada no Laboratório de Ictiologia da UFPEL, onde os animais foram medidos em comprimento e peso, sendo utilizadas ??para o cálculo de rendimento corporal. Foram avaliados o rendimento de carcaça, rendimento de cabeça, rendimento visceral, rendimento da pele, rendimento de tronco limpo e rendimento de filé. A análise de composição química foi realizada com filé seco, para se obter os resultados de proteína, extrato etéreo, cinzas e umidade, e na matéria natural para se obter o teor de ácidos graxos. O peso dos animais influencia no rendimento de carcaça. O filé da viola é considerado magro, com alto teor de proteína e maior quantidade de ácidos graxos insaturados em comparação aos saturados.(AU)
Biblioteca responsável: BR68.1
Localização: BR68.1