Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Emprego do sufentanil em cães pré-tratados com levomepromazina e anestesiados pela cetamina / Use of sufentanil in dogs premedicated with levomepromazine and anesthezed with ketamine

Nunes, Newton; Ferro, Patricia Cristina; Nishimori, Celine Tie; Paula, Danielli Parrilha de; Santos, Paulo Sérgio Patto dos; Carareto, Roberta; Conceição, Elaine Dione Venêga da; Bergara, Andréa Felicio.
MEDVEP. Rev. cient. Med. Vet.; 2(8): 294-300, out.-dez. 2004. tab
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-381

Resumo

O objetivo deste estudo foi avaliar as possíveis alterações cardiorrespiratórias provenientes da administração de sufentanil, em cães pré-tratados com levomepromazina e anestesiados pela cetamina. Para tanto, foram utilizados 16 cães adultos, distribuídos em dois grupos, denominados de GS e GP. Aos animais do GS, foi administrada levomepromazina (1mg/kg, IV). Decorridos 15 minutos, administrou-se cetamina (15mg/kg, IM) e após 10 minutos, sufentanil (1µg/kg, IV). Nos animais do GP foi empregada a mesma metodologia, substituindo-se o sufentanil por solução fisiológica a 0,9% (placebo). As observações das variáveis tiveram início imediatamente antes da aplicação dos fármacos (M0), 15 minutos após a administração da levomepromazina (M15), 10 minutos após a administração da cetamina (m25) e 10 minutos após a administração do sufentanil, no GS ou placebo, no GP (M35). As demais medidas foram efetuadas a intervalos de 10 minutos após M35, durante 20 minutos (M45 e M55, respectivamente). Foram estudados os seguintes parâmetros: freqüência cardíaca (FC); pressões arteriais sistólicas (PAS), diastólica (PAD) e média (PAM); freqüência respiratória (f); saturação de oxi-hemoglobina (SpO₂); concentração de dióxido de carbono ao final da expiração (ETCIO₂) e temperatura retal (TR). A avaliação estatística das variáveis foi efetuada por meio de análise de perfil a 5% de probabilidade. A análise dos resultados permitiu concluir que o sufentanil altera a função cardiovascular, por diminuí-la; prejudica a ventilação e determina discreta influência sobre a temperatura retal(AU)
This study aimed at investigating the cardiorespiratory promoted by the infusion of sufentanil in dogs premedicated with levomepromazine, and anesthetized with ketamine. For such, sixteen adult dogs were distributed into two groups, namely GS e GP. The animals in GS were given intramuscularly (15mg/kg IM) and intravenously sufentanil (1µg/kg, IV) following levomepromazine (1mg/kg IV). Dogs in GP received the same drugs, but sufentanil was replaced by saline solution. We evaluated the heart rate (FC); systolic (PAS), diastolic (PAD) and mean (PAM) arterial pressures; respiratory rate (f); oxyhemoglobin saturation (SpO₂); end-tidal carbon dioxide concentration (ETCO₂), and rectal temperature levomepromazine was given (M15), 10 minutes after ketamine was given (M25), and 10 minutes after sufentanil or saline solution were administered (M35), as well as each 10 minutes over 20 minutes (M45 and M55). Data was submitted to variance analysis at 5% o probability. Results allowed concluding that sufentanil affects cardiovascular function, impairs ventilation and slightly reduces rectal temperature(AU)
Biblioteca responsável: BR68.1