Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Avaliação dos métodos de etest e microdiluição em caldo para o estudo da suscetibilidade do sporothrix schenckii com o itraconazol / Evaluation of Etest and Broth Microdiluition Methods for Itraconazole susceptibility testing of Sporothrix schenckii

Meinerz, Ana Raquel Mano; Cleff, Marlete Brum; Nascente, Patrícia da Silva; Osório, Luiza da Gama; Lund, Rafael Guerra; Meireles, Mário Carlos Araújo; Mello, João Roberto de Braga.
Ci. Anim. bras.; 11(2): 344-348, abr.-jun. 2010. tab, ilus
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-3886

Resumo

A frequente ocorrência de isolados fúngicos resistentes aos fármacos antifúngicos estimulou os avanços das técnicas de antifungigrama com a padronização das técnicas pelo CLSI. Porém, os métodos são ineficientes e com pouca praticidade na execução em laboratórios clínicos. Nesse contexto surgiram as técnicas comerciais, como o ETEST, que, dentre outras vantagens, demonstra maior facilidade na sua execução em relação às técnicas preconizadas pelo CLSI. O estudo utilizou o ETEST e o método de microdiluição em caldo realizado de acordo com o CLSI, para determinar a suscetibilidade de isolados de Sporothrix schenckii com o itraconazol. O CLSI emprega o meio RPMI 1640 e a leitura da CIM após o período de incubação de 72h a 35ºC. No estudo, foi determinada a CIM pelo ETEST utilizando o meio ágar Sabouraud dextrose e realizando a leitura após 72 horas de incubação a 35ºC. A análise de variância feita pelo teste de T pareado não demonstrou diferenças estatísticas entre os valores das CIMs obtidos pela técnica de microdiluição em caldo (MIC entre 0,219 e 0,875 µg/mL) e o ETEST (MIC entre 0,032 e 2,0 µg/mL), porém o coeficiente de correlação (R) foi negativo, provavelmente pelo pequeno número de amostras. Esses resultados estimulam mais estudos que confirmem a aplicação do ETEST para avaliar a suscetibilidade do S. schenckii com o itraconazol.(AU)
The frequent occurrence of resistant isolated fungi againstantifungal drugs stimulated advances in the antifungigram techniques, which were standardized by CLSI. However, the methods have been inefficient and impractical to be executed in clinical laboratories. Within this context, commercial techniques have been developed, being ETEST one of them. ETEST has proved to be easier to execute when compared to the techniques approved by the CLSI. This study used the ETEST and the microdilution method, performed according to CLSI, for determining the in vitro susceptibility of isolates of Sporothrix schenckii against itraconazole. The CLSI uses RPMI 1640 medium and the reading of MIC after the period of incubation of 72h at 35ºC. MIC was determined by the ETEST, being Sabouraud dextrose agar used as medium, and the reading performed after 72 hours of incubation at 35ºC. The variance analysis, analyzed by T-paired test, did not demonstrate statistical differences among the CIM values obtained by the microdilution technique in broth (MIC among 0.219 and 0.875 µg/mL) and ETEST (MIC among 0.032 and 2.0 µg/mL). However, the correlation coefficient (R) was negative, probably because of the small number of samples. These results show the necessity of further studies to assess the application of ETEST to evaluate the susceptibility of S. schenckii against the itraconazol.(AU)
Biblioteca responsável: BR68.1
Localização: BR68.1