Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Sunnhemp and millet as green manure for tropical maize production

Perin, Adriano; Henrique Silva Santos, Ricardo; Sacramento Urquiaga, Segundo; Roberto Cecon, Paulo; Guilherme Marinho Guerra, José; Bernardo de Freitas, Gilberto.
Sci. agric.; 63(5)2006.
Artigo em Inglês | VETINDEX-Express | ID: vti-440096

Resumo

Commonly N release from legume residues is rapid in the tropics. Legume mixtures with grasses can result in slower nutrient release from residues, better matching the N requirements of the following crop. The objectives of this study were to evaluate the effects of the green manures sunnhemp (Crotalaria juncea) and millet (Pennisetum glaucum), alone or mixed, on the performance of a subsequent maize crop with and without the application of N-fertilizer. The experiment consisted of four randomized blocks, with split plots. The plot treatments consisted of previous cultivation of sunnhemp, millet, mixed sunnhemp+millet and weeds. The subplot treatments were 90 kg N ha-1 and absence of N-fertilizer. Substantial amounts of biological nitrogen fixation (BNF) nitrogen were present in above ground parts of sunnhemp alone (173 kg ha-1) and mixed with millet (89 kg ha-1). Decay rates showed that half of the N was released 15 and 22 days from sunnhemp and sunnhemp+millet residues, respectively. The difference was attributed to temporary immobilization due to the higher C/N ratio of sunnhemp+millet. The preceding sunnhemp+millet treatment resulted in a larger maize yield than sunnhemp alone, when no N-fertilizer was applied. This effect was not observed when N-fertilizer was added. This effect may be due to a more timely N release, compared to sunnhemp and millet alone, when available N is required for maize. Nitrogen budgets showed that 15% and 10% in maize grain N was recovered from BNF for sunnhemp alone and sunnhemp+millet respectively. The recovery of N-BNF by maize was 65% higher after sunnhemp+millet than after sunnhemp monocrop.
A liberação de nutrientes dos resíduos de leguminosas é rápida nos trópicos. A consorciação com gramíneas pode resultar em liberação de nutrientes desses resíduos mais lenta e adequada aos requerimentos de N da cultura subseqüente. Os objetivos do trabalho foram avaliar os efeitos dos adubos verdes crotalária (Crotalaria juncea) e milheto (Pennisetum glaucum), solteiros ou consorciados, sobre o desempenho do milho com ou sem a aplicação de N-fertilizante. O experimento foi instalado em quatro blocos casualizados em parcelas subdivididas. Os tratamentos da parcela consistiram do cultivo prévio de crotalária, milheto, crotalária+milheto e ervas. Os tratamentos da subparcela foram 90 kg N ha-1 e ausência de N-fertilizante. A parte aérea da crotalária solteira ou consorciada apresentou, respectivamente, 173 kg ha-1 e 89 kg ha-1 de FBN-N. Metade do N foi liberado em 15 e 22 dias, dos resíduos de crotalária solteira e crotalária+milheto respectivamente. Esta diferença foi provavelmente causada pela imobilização temporária devido à maior C/N da crotalária+milheto. Na ausência de N-fertilizante o cultivo prévio de crotalária+milheto resultou em maior produtividade do milho que a crotalária solteira. Esse resultado não se repetiu com a aplicação de N-fertilizante. Esse efeito é atribuído à liberação de N mais sincronizada com o requerimento do milho do que com crotalária e milheto solteiros. O balanço de nitrogênio mostra que a recuperação de N-FBN foi de 15% e 10% do N nos grão de milho após crotalária solteira e crotalária+milheto respectivamente. A utilização de N-FBN pelo milho foi 65% maior após crotalária+milheto do que após crotalária solteira.
Biblioteca responsável: BR68.1