Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Hot pepper (Capsicum chinense, Jacq.) inheritance of reaction to powdery mildew

Ferreira Blat, Sally; Paulino da Costa, Cyro; Vencovsky, Roland; Cesar Sala, Fernando.
Sci. agric.; 63(5)2006.
Artigo em Inglês | VETINDEX-Express | ID: vti-440098

Resumo

The pepper species C. chinense has been considered one of the most important resistance sources to powdery mildew Capsicum spp. However, the inheritance in this species was unknown. The purpose of this work was to study its reaction inheritance. Two powdery mildew resistant parents, 'Pimenta Cheiro' 1 and PI 152225 and two moderately susceptible ones, 'Pimenta Doce' IH-1761 and 'Pimenta Índio', were used to obtain three F1 and their respective F2 generations: 'Pimenta Doce' IH-1761 FONT FACE=Symbol>´ /FONT> 'Pimenta Cheiro' 1, 'Pimenta Índio' FONT FACE=Symbol>´ /FONT> PI 152225 and 'Pimenta Doce' IH-1761 FONT FACE=Symbol>´ /FONT> PI 152225. The powdery mildew epidemy was natural using inoculum from a highly-sporulating susceptible pepper host. Powdery mildew host reaction evaluations were carried out during the fruiting stage using a rating system based on disease severity scales varying from 1 (resistant) to 5 (highly susceptible). The experimental design was completely randomized. The following genetic parameters were estimated: gene action, heritability coefficient and expected selection gain in the F3 generation. The transgressive segregation in F2 indicated oligogenic inheritance. Results show the presence of additive, dominant, and epistatic gene action. The dominant and epistatic effects detected in crosses presented negative values, tending towards susceptibility. The heritability and selection gain estimates were moderate, with values of 35.5% and 1.7% for 'Pimenta Doce' IH 1761 FONT FACE=Symbol>´ /FONT> 'Pimenta Cheiro' 1, from 50.4% to 3.5% for 'Pimenta Índio' FONT FACE=Symbol>´ /FONT> PI 152225, and 49% and 2.7% for the 'Pimenta Doce' IH 1761 FONT FACE=Symbol>´ /FONT> PI 152225 crosses, respectively. These gene action results are favorable for breeding programs and exploration of hybrids.
A espécie de pimenta C. chinense tem sido considerada uma das mais importantes fontes de resistência ao oídio, porém a herança dessa resistência ainda é desconhecida. O objetivo deste trabalho foi obter informações sobre a herança dessa reação. Dois progenitores resistentes, Pimenta Cheiro 1 e PI 152225 e dois moderadamente suscetíveis, Pimenta Doce IH-1761 e Pimenta Índio, foram utilizados na obtenção de três híbridos e respectivas gerações F2: Pimenta Doce IH-1761 × Pimenta Cheiro 1, Pimenta Índio ´ PI 152225 e Pimenta Doce IH-1761 × PI 152225. A epidemia de oídio ocorreu de maneira natural a partir de inóculo mantido em plantas de pimentão suscetíveis. As avaliações das reações ao oídio foram feitas na fase de frutificação, através de uma escala de notas de 1 (resistente) a 5 (altamente suscetível). O delineamento experimental utilizado foi inteiramente casualizado. Foram estimados: tipo de ação gênica, coeficiente de herdabilidade e ganho de seleção esperado em F3.. A segregação transgressiva em F2 indicou que a herança é oligogênica e o tipo de ação gênica envolveu os componentes aditivos, dominantes e epistáticos. Os efeitos de dominância e epistasia detectadas nos cruzamentos se mostraram negativos para a suscetibilidade. Os valores de herdabilidade e ganho de seleção foram moderados, sendo de 35,5% e 1,7% para o cruzamento Pimenta Doce IH-1761 FONT FACE=Symbol>´ /FONT> Pimenta Cheiro 1, de 50,4% e 3,5% para Pimenta Índio FONT FACE=Symbol>´ /FONT> PI 152225 e de 49,0% e 2,7% para Pimenta Doce IH 1761 FONT FACE=Symbol>´ /FONT> PI 152225. Os resultados sobre ação gênica favorecem programas de melhoramento visando variedades híbridas.
Biblioteca responsável: BR68.1