Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Sphincterodiplostomum musculosum (Digenea, Diplostomidae) infecting Steindachnerina insculpta(Characiformes, Curimatidae) in the Chavantes Reservoir, Southeastern Brazil

Cristina Zago, Aline; Franceschini, Lidiane; Paiva Ramos, Igor; de Oliveira Penha Zica, Érica; Carlos Wunderlich, Alison; Daniel Carvalho, Edmir; José da Silva, Reinaldo.
Artigo em Inglês | VETINDEX-Express | ID: vti-441962

Resumo

This study aimed to report the infection bySphincterodiplostomum musculosum metacercariae inSteindachnerina insculpta from the Chavantes Reservoir, medium Paranapanema River, municipality of Ipaussu, State of São Paulo, Brazil. Thirty specimens of S. insculpta were collected and 29 were infected with S. musculosum metacercariae (prevalence = 96.67%) in the eyes and visceral cavity. The mean intensity of infection and abundance were 96.6 ± 29.41 (7-846) and 93.3 ± 28.6 (0-846), respectively. Positive correlation was observed between parasite abundance in the eyes and standard length (rs = 0.5, p = 0.005), total weight (rs = 0.649, p = 0.0001), and condition factor (rs = 0.439, p = 0.0154). The high parasitism rates by S. musculosummetacercariae in S. insculpta can be an indicative that this fish species is highly susceptible to infection by this diplostomid, and even reflect the presence of a large abundance of the intermediate host. Moreover,S. musculosum metacercariae are reported for the first time in S. insculpta.
O presente estudo tem como objetivo relatar a infecção por metacercárias de Sphincterodiplostomum musculosum emSteindachnerina insculpta provenientes do Reservatório de Chavantes, médio Paranapanema, município de Ipaussu, Estado de São Paulo, Brasil. Foram coletados 30 espécimes de S. insculpta, sendo que 29 estavam infectados por metacercárias de S. musculosum (prevalência = 96,67%) nos olhos e na cavidade visceral. A intensidade média de infecção e abundância apresentaram valores de 96,6 ± 29,41 (7-846) e 93,3 ± 28,6 (0-846), respectivamente. Foi observada correlação positiva entre a abundância dos parasitas presentes nos olhos com relação ao comprimento padrão (rs = 0.5, p = 0.005), peso (rs = 0.649, p = 0.0001) e fator de condição (rs = 0.439, p = 0.0154). As altas taxas de parasitismo de metacercárias de S. musculosum em S. insculpta podem ser um indicativo de que esta espécie de peixe é altamente susceptível à infecção por este diplostomídeo, e até mesmo refletir a presença de grande oferta do hospedeiro intermediário. Além disso, este é o primeiro relato de parasitismo por metacercárias de S. musculosum emS. insculpta.
Biblioteca responsável: BR68.1