Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Prevalence and risk factors associated to ovine toxoplasmosis in northeastern Brazil

Eduardo D'Alencar Mendonça, Carlos; Letícia Bomfim Barros, Sílvia; Andrade Accioly Guimarães, Vitor; Sergio Ferraudo, Antonio; Dias Munhoz, Alexandre.
Artigo em Inglês | VETINDEX-Express | ID: vti-441989

Resumo

In this study, we aimed to determine the prevalence and risk factors associated to Toxoplasma gondii infection in sheep from northeastern Brazil. A total of 932 ovine serum samples from 54 properties in 19 municipalities of the state of Sergipe were collected and assayed using indirect fluorescent antibody test. The assay used antibodies against Toxoplasma gondii (IFAT-IgG) with a cutoff point of 1:64. We observed that 28.22% (263/932) of the ovine samples were serum-reactive. In a logistic regression, factors such as consumption of water directly from the source, consumption of water from a deep well, and age below 12 months were associated with protection; whereas factors such as presence of cats on the property, presence of slatted floor, and use of exchanged or borrowed breeding males were associated with infection. The studied area can be considered endemic for toxoplasmosis, so it is necessary to adopt preventive and control measures because this zoonotic infection poses risks to public health.
Objetivou-se determinar a prevalência e os fatores associados á infecção por Toxoplasma gondii em ovinos do Nordeste brasileiro. Foram processadas 932 amostras de soro de ovinos procedentes de 54 propriedades de 19 municípios do Estado de Sergipe e analisadas pela reação de imunofluorescência indireta para pesquisa de anticorpos contraToxoplasma gondii (RIFI-IgG), com ponto de corte de 1:64. Observou-se que 28,22% (263/932) dos ovinos foram sororeagentes. Na regressão logística não condicional, ingestão de água direto da fonte, ingestão de água de poço profundo e idade inferior a 12 meses foram fatores associados á proteção; enquanto que a presença de gato na propriedade, presença de aprisco ripado e troca ou empréstimo de machos reprodutores foram identificados como fatores associados á infecção. Ao considerar a região de estudo como endêmica para a doença, cabe a adoção de medidas preventivas e de controle, uma vez que por apresentar caráter zoonótico a infecção destes animais representa riscos á saúde pública.
Biblioteca responsável: BR68.1