Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Pathological and parasitological characterization of infection by trematodes (Paramphistomatidae) in the large intestine of capybaras

de Oliveira Avelar, Isabela; Patrícia Carvalho Silva, Ana; Gardiner, Chris; de Lima Santos, Renato; dos Santos Lima, Walter; Ecco, Roselene.
Artigo em Inglês | VETINDEX-Express | ID: vti-442205

Resumo

Gross and histological lesions caused by an intestinal parasite were described in three capybaras. The parasites presented a mean length of 14 mm and width of 7 mm, were round to oval or piriform, reddish and pedunculated, and adhered strongly to the mucosa of the large intestine. The intestinal mucosa at the parasite attachment site presented loss of surface epithelium and most glands, with replacement by fibrovascular proliferation that protruded from the mucosa and was involuted by the ventral sucker of the parasite. The lamina propria presented cellular debris, eosinophils, macrophages and plasma cells. The morphological characteristics, observed using serial histological sections, made it possible to classify the parasite as a trematode (Paramphistomatidae), compatible with Taxorchis schistocotyle. One capybara also harbored many ciliated protozoa in the large intestine (at the site of attachment of the parasite) and inside the caeca of the trematodes. In conclusion, this study described a multifocal necrotizing colitis associated with T. schistocotyle parasitism in capybaras.
Lesões macroscópicas e histológicas causadas por um parasita intestinal foram descritas em três capivaras. Os parasitas apresentaram média de 14 mm de comprimento e 7 mm de largura, eram de circulares a ovais ou piriformes, avermelhados, pedunculados e estavam fortemente aderidos à mucosa do intestino grosso. A mucosa intestinal, em que os parasitas estavam aderidos, apresentou perda do epitélio e da maioria das glândulas, sendo substituídos por proliferação fibrovascular que se projetava a partir da mucosa e era envolvida pela ventosa ventral do parasita. A lâmina própria apresentou restos celulares, eosinófilos, macrófagos e plasmócitos. As características morfológicas, utilizando cortes histológicos seriados, proporcionaram a classificação do parasita como um trematoda Paramphistomatidae, compatível com Taxorchis schistocotyle. Uma capivara continha também numerosos protozoários ciliados no intestino grosso (no local de fixação do parasita) e no lúmen do ceco desses parasitos. Em síntese, este estudo demonstrou a ocorrência de colite necrótica associada ao parasitismo por T. schistocotyle em capivaras.
Biblioteca responsável: BR68.1