Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Flowers, fruits, and the abundance of the yellow-chevroned parakeet (Brotogeris chiriri) at a gallery forest in the South Pantanal (Brazil)

Ragusa-Netto, J..
Braz. J. Biol.; 64(4)2004.
Artigo em Inglês | VETINDEX-Express | ID: vti-445963

Resumo

Parakeets usually forage for massive and ephemeral plant resources at forest canopies. Fruit pulp is widely cited as a major food resource for these birds, which often eat seeds and nectar. In this study, I assessed flower and fruit production at a gallery forest in the Pantanal flood plain (Brazil) in order to evaluate the relationship between food resource production and abundance of a common parakeet, Brotogeris chiriri. Also, I evaluated the relationship between food resource production and foraging activity. Parakeet abundance varied markedly along the year, coinciding with massive episodes of flower and fleshy fruit availability. Inga vera nectar, intensely used during the latter part of dry season, was by far the most exploited food item by parakeets when they were very abundant. The nectar comprised 34% of the parakeets' diet (N = 131 feeding records) at the gallery forest, while fleshy fruits made up the rest. Parakeets principally exploited fruits of Cecropia pachystachya and Ficus luschnathiana, besides palm fruits and Inga vera arils. The consistent relationship between foraging activity and parakeet abundance, as well as the coincidence between fluctuations of these parameters and availability of major food resources, suggests that food availability mostly influenced B. chiriri occurrence in the gallery forest. Furthermore, I found no evidence for gallery forest use for roosting and/or breeding, in spite of the fact that such factors usually influence local parakeet abundance.
Periquitos normalmente exploram recursos massivos e efêmeros no dossel das florestas tropicais. Dentre os itens alimentares mais utilizados está a polpa de frutos, embora sementes e néctar também sejam consumidos. Neste estudo, foi avaliada a produção de flores e frutos em uma mata ciliar do Pantanal (Brasil) e sua relação com a abundância do periquito Brotogeris chiriri. Além disso, avaliaram-se as relações entre a produção de flores e frutos e o padrão de exploração desses recursos alimentares. A abundância dos periquitos variou profundamente ao longo do ano, coincidindo com a oferta massiva de flores e de certos frutos carnosos. O néctar das flores de Inga vera foi amplamente consumido no final da estação seca e, de longe, o recurso mais explorado quando os periquitos eram abundantes, correspondendo a 34% da dieta (N = 131 registros de alimentação), enquanto o restante era de frutos carnosos. Os periquitos consumiram substancialmente os frutos de Cecropia pachystachya e Ficus luschnathiana, além de frutos de palmeiras e arilos das sementes de I. vera. A relação entre a abundância dos periquitos e o respectivo padrão de utilização dos recursos alimentares, bem como as coincidências entre as flutuações desses parâmetros com a oferta dos recursos alimentares mais explorados, sugerem que flores e frutos causaram as variações no número de periquitos na mata ciliar. Apesar de os psitacídeos utilizarem regularmente certos ambientes como dormitórios coletivos ou sítios de reprodução, não foram encontradas evidências quanto à influência desses locais na abundância dessas aves na mata ciliar.
Biblioteca responsável: BR68.1