Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Feeding dynamics and ecomorphology of Oligosarcus jenynsii (Gunther, 1864) and Oligosarcus robustus (Menezes, 1969) in the Lagoa Fortaleza, southern Brazil

M. Nunes, D.; M. Hartz, S..
Braz. J. Biol.; 66(1)2006.
Artigo em Inglês | VETINDEX-Express | ID: vti-446078

Resumo

Oligosarcus jenynsii and Oligosarcus robustus are fishes of Characidae family that occur in Rio Grande do Sul, Uruguay and northern Argentina. This work purported to study the feeding dynamics (repletion and hepatosomatic indexes and condition factor) over time, and to investigate the coexistence of these two species by evaluating the partition of resources using qualitative and quantitative analyses of diet, temporal and spatial segregation throughout the water column and some ecomorphological aspects of the species in the Lagoa Fortaleza. Specimens were sampled monthly, from May 2000 to April 2001 during 24 h/month, using stationary gill nets of different mesh sizes. The records of each individual included total and standard length; total, stomach and liver weight; sex and stomach repletion. The variation of the mean values of repletion index and relative frequencies of stomach repletion stages indicate that O. jenynsii and O. robustus do not present seasonal differences in feeding intensity. The hepatosomatic index shows an allocation of energy to the liver during every period except reproduction, when part of the energy is used for gonad maturation. The estimated condition factor for both species reveals an increase in the reproductive period, evidencing the influence of gonads upon the condition of the fish. The diet analysis revealed that O. robustus is piscivorous, whereas O. jenynsii is a generalist carnivore, tending to piscivory as well. The active period of O. robustus is more concentrated at sunrise and sunset, whereas O. jenynsii is continually active, a characteristic related to hunting for prey. The ecomorphological analysis revealed differences between the two species in the dimensions of the mouth. Evidence suggests that the species coexist, sharing food sources, differing in oral morphology but ingesting similar prey, possibly because food is not a limiting factor in the environment.
Oligosarcus jenynsii e Oligosarcus robustus são peixes pertencentes à família Characidae, sendo espécies ocorrentes no Rio Grande do Sul, Uruguai e norte da Argentina. Este estudo objetivou analisar os índices de repleção e hepatossomático e o fator de condição ao longo do tempo, fazer uma análise quali-quantitativa da dieta, e avaliar a segregação temporal e espacial ao longo da coluna d´água e ecomorfologia, como parâmetros de coexistência entre estas duas espécies. Os exemplares foram amostrados mensalmente, de maio de 2000 a abril de 2001, durante 24 horas/mês, com o auxílio de redes de espera de diversas malhagens. De cada indivíduo foram registradas medidas de comprimento total e padrão, peso total, peso do estômago e do fígado, sexo e estádio de repleção estomacal. Os resultados demonstram que O. jenynsii e O. robustus não apresentam um período alimentar definido, alimentando-se durante todo o tempo conforme a variação dos valores médios do índice de repleção, bem como das freqüências relativas dos estádios de repleção estomacal. O índice hepatossomático demonstra uma alocação de energia para o fígado durante todo o período, exceto na época reprodutiva, quando a energia é transferida para a maturação gonadal. O fator de condição estimado para as duas espécies revelou um aumento na época reprodutiva, evidenciando a influência das gônadas na condição em que se encontra o peixe. As análises na dieta revelaram que O. robustus é piscívoro, enquanto O. jenynsii se mostrou um carnívoro mais generalista, tendendo à piscivoria. O período de atividade das espécies foi crepuscular e está diretamente relacionado com a captura de presas. As análises ecomorfológicas revelaram diferenças no tamanho da cabeça e dimensões da boca entre as espécies. Os resultados obtidos sugerem que as espécies coexistem partilhando o recurso alimentar, diferindo em sua morfologia bucal, ingerindo, no entanto, presas similares porque o alimento pode não ser um fator limitante no ambiente.
Biblioteca responsável: BR68.1