Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Activity patterns of South American silver catfish (Rhamdia quelen)

H. Schulz, U.; Leuchtenberger, C..
Braz. J. Biol.; 66(2)2006.
Artigo em Inglês | VETINDEX-Express | ID: vti-446131

Resumo

The South American silver catfish (Rhamdia quelen) is a widely distributed species in Central and South America in areas east of the Andes between Venezuela and the northern parts of Argentina. The bottom dwelling species occurs in lakes and reservoirs as well as in rivers. Between June 2000 and December 2001, sixteen silver catfish were tracked during fourteen 24-h cycles in two-hour-intervals, with the aim of investigating daily movements and habitat use. Covered distances varied between 0 m/2 h and 326 m/2 h and the mean distance covered in 2 h was 25.6 m. The mean activity of individual silver catfish varied between 5.6 m/2 h and 81.4 m/2 h. The swimming activity was linearly related to the total fish length. The highest mean swimming activity occurred in the morning and at nightfall. Silver catfish concentrated in three areas of frequent use. All of them were characterized by steep banks providing shelter in the form of rip-rap or large woody debris. Vertically, silver catfish preferred the upper 2 m layer where tracked fish encountered higher temperatures and higher dissolved oxygen concentrations.
O jundiá sul-americano (Rhamdia quelen) é uma espécie amplamente distribuída na América do Sul e Central, ao leste dos Andes e entre a Venezuela e o norte da Argentina. A espécie é um peixe de fundo que ocorre tanto em lagos e reservatórios como em rios. Entre junho de 2000 e dezembro de 2001, 16 jundiás foram monitorados durante 14 ciclos de 24 h, em intervalos de duas h, com o objetivo de investigar movimentos diários e uso de habitat da espécie. Os deslocamentos verificados variaram entre 0 m/2 h e 326 m/2 h, a distância média medida em 2 h foi de 25,6 m. A atividade média dos indivíduos oscilou entre 5,6 m/2 h e 81,4 m/2 h. Os picos de maior atividade ocorreram, principalmente, durante a manhã e no vespertino. Os jundiás se concentraram em três áreas de uso freqüente. Todas as áreas caracterizavam-se por apresentar barrancos muito inclinados com abrigos em forma de seixos grandes ou troncos submersos. Verticalmente a espécie mostrou preferência por profundidades entre 0 m e 2 m, onde encontravam temperaturas e concentrações de oxigênio mais altas.
Biblioteca responsável: BR68.1